Tanya O'Callaghan
Reprodução/YouTube

Oficialmente integrante do Whitesnake há um mês, a baixista Tanya O’Callaghan falou em recente entrevista sobre sua entrada no grupo e deixou claro que tem provado seu talento.

Ela, que se juntou ao grupo liderado pelo vocalista David Coverdale ao substituir Michael Devin, disse que ser mulher não tem peso para as escolhas de sua carreira (via Blabbermouth):

Eu acho que felizmente existem em geral muitas integrantes mulheres proeminentes no meio hoje em dia, o que é ótimo. Obviamente, ainda não é o suficiente. Para mim, é sempre sobre normalizar. Eu não quero estar em um pedestal ou estimular essa rivalidade entre homem e mulher; realmente só quero ser normal. É, tipo, normal — quanto mais mulheres nestas bandas gigantescas melhor, porque as pessoas tendem a se chocar, ‘Oh meu Deus! É uma baixista mulher.’ E você fica, tipo, ‘É apenas alguém no baixo’ [risadas].

Tanya seguiu manifestando seus pensamentos sobre a indústria:

Você consegue o trabalho pelo seu mérito, não porque você é mulher. É tipo, ‘Ah, meio que é legal. Acontece que ela também é uma mulher’. Mas eu tenho toda uma carreira atrás de mim. Eu provei o meu valor. Imediatamente depois que o Whitesnake fez o anúncio [de sua contratação], meu inbox explodiu com mensagens de pais, tipo, ‘Oh meu Deus. Eu mal posso esperar para levar minha filha ao show e mostrar a ela que ela pode fazer o que ela quiser’, e eu acho que isso é incrível e doce.

Em 2022, o Whitesnake entrará em turnê de despedida. A The Farewell Tour está prevista para começar no Reino Unido, em 16 de Maio.

LEIA TAMBÉM: Com The Clash e Kiss, Dave Grohl vai do Punk ao Hard Rock e encerra especial de Hanukkah

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!