Travis Scott em 2014
Foto de Travis Scott via Shutterstock

Um mês depois da tragédia do festival Astroworld, Travis Scott está lidando com uma pressão ainda maior do público e dos familiares das vítimas do evento que terminou com a morte de 10 pessoas e centenas de feridos.

Nesta segunda-feira (6), o advogado Brent Coon, fundador da Brent Coon & Associates, anunciou que seu escritório em Houston abriu um total de 1.547 novos processos envolvendo o festival de Scott.

De acordo com a NME, o aumento do número de processos ocorreu poucas horas depois que os advogados de ambos os lados concordaram em consolidar os 275 casos que estavam ativos no último domingo (5) em um único caso amplo.

Com os novos registros anunciados por Coon, o número de pessoas que moveram ação em busca de restituição pelos incidentes que ocorreram no Astroworld cresceu para cerca de 2.800.

Novos processos contra Travis Scott e equipe do Astroworld

Coon entrou com seus processos no Tribunal Distrital do Condado de Harris e solicitou que todos fossem consolidados em um único tribunal. O advogado está buscando um total de US$10 bilhões (cerca de R$57 bilhões) para resolver todos os 1.547 casos ativos.

Em um anúncio de sua firma, Coon não menciona quem exatamente está sendo processado, mas informa que uma audiência está marcada para a próxima segunda-feira, 13 de Dezembro.

Ações movidas anteriormente sobre os incidentes do Astroworld citaram acusações contra Travis Scott, Drake, Live Nation, Apple Music, NRG Stadium e mais.

Sobre os novos processos, Brent Coon declarou em um comunicado:

Além de litigar tragédias em massa de alto perfil em todo o condado nos últimos 35 anos, também dirigi uma empresa de promoção de shows por mais de 20 anos e estou muito familiarizado com como você deve planejar os eventos. O que aconteceu no Astroworld foi uma tragédia inescrupulosa e é importante que seja feita justiça a todos os afetados.

Além da restituição para seus clientes, o advogado está supostamente “exigindo ação legislativa para incluir especialistas em planejamento de controle de multidões para certificar eventos, programas de treinamento obrigatório para preparação de eventos e responsabilidade criminal por qualquer delito”.

Ele ainda alegou que “nenhuma empresa ou indivíduo envolvido neste incidente fez um esforço” para evitar as fatalidades na multidão do Astroworld. Ele disse:

Tentar evitar publicamente a culpa é irresponsável e inconsistente com o que realmente acontece nos bastidores desses eventos.

Travis Scott quer se distanciar de processos

Ainda de acordo com a NME, no início desta semana, Travis Scott entrou com pedidos para ser dispensado de diversos processos movidos contra ele. Um representante do rapper disse que Scott “não é legalmente responsável” pela tragédia.

O músico teria negado todas as acusações em que é citado e é provável que seu representante apresente, no futuro, mais pedidos pela dispensa do rapper.

Promotora do evento, a Live Nation negou todas as acusações em que foi citada nos documentos apresentados na última segunda-feira, bem como aconteceu com a subsidiária ScoreMore. Por outro lado, a Harris County Sports & Convention Corporation, dona do NRG Park, onde o evento foi realizado, não pediu que seus processos fossem dispensados.

Enquanto isso, metade das famílias das vítimas que faleceram após a confusão do festival rejeitaram a oferta de Scott de cobrir as despesas geradas pelos funerais. Saiba mais aqui.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar