Red Hot Chili Peppers em 2021
Divulgação
 

A cada dia que passa, a ansiedade em relação ao novo disco do Red Hot Chili Peppers só aumenta.

Também pudera, o álbum será o primeiro com o guitarrista John Frusciante em mais de 15 anos e a banda está de volta ao seu lado após uma década de ausência, o que significa que muito provavelmente teremos momentos grandiosos no sucessor de The Getaway (2016).

Quem falou exatamente sobre isso foi o baterista da banda, Chad Smith, que deu uma entrevista à revista Rolling Stone e disse que Frusciante viveu “momentos mágicos” em estúdio com a banda, revelando ainda que o álbum está quase pronto.

John Frusciante e o novo disco do Red Hot Chili Peppers

Em suas declarações, Chad disse que o clima da banda está espetacular, e ainda ressaltou que após tantos anos de distanciamento, nada poderia ser melhor:

Estamos nos dando muito bem. John está de volta há algum tempo, então tudo é muito natural.

Estamos nos ouvindo de uma nova maneira.

Apesar da reportagem falar que o baterista “cuidadosamente” não revelou a data de lançamento do álbum, ela vazou nos últimos dias através da loja britânica da própria banda, e pelo menos na teoria, está marcada para Maio de 2022.

Além disso, o texto insinua que o comportamento de John está “parecido com o do disco Stadium Arcadium“, o que fez alguns fãs entenderem que a sonoridade irá por essa linha.

Ao falar sobre o álbum produzido por Rick Rubin e os toques de John Frusciante, Chad ainda completou:

Ele é tão dedicado. Ele é tão compenetrado. Está trabalhando de forma tão árdua. Estamos todos trabalhando duro, mas ele está lá com todos os overdubs e toda mágica que só ele traz.

O músico ainda falou sobre o processo que foi completamente alterado pela pandemia, quando eles fizeram uma “bolha” de isolamento e contaram com apenas um técnico de estúdio ao lado de Anthony Kiedis e Flea:

A gente teve a chance de simplesmente tocar e compor, e foi o que fizemos. Foi meio que uma bênção, porque nós queríamos criar novas músicas e tocar canções inéditas. Será ótimo quando finalmente sairmos no ano que vem com um disco novo pra tocar nos shows, além de várias outras coisas.

Por fim, ao responder a pergunta de 1 milhão de dólares sobre a sonoridade do álbum, Chad fez mistério e não quis compará-lo com outros trabalhos do RHCP ao lado de Frusciante:

Não podemos fazer isso [comparar]. Todos os nossos discos são ótimos retratos do momento que vivemos naquele período. Você não pode simplesmente dizer, ‘oh, caramba, espero que esse seja tão bom quanto…’ Porque aí você começa a ter noções preconcebidas do que gostaria de compor.

Veja, John ficou 10 anos fora do grupo, é muito tempo. Então é claro que irá soar diferente, mas irá soar como os quatro de nós porque nós temos essa química especial juntos. Soa como o Red Hot Chili Peppers, mas é novo e diferente, e para mim isso é ótimo.

Nós gostamos muito desse disco e estamos orgulhosos dele, e é por aí que temos que começar. Se as outras pessoas gostarem, ótimo. Se as pessoas compararem ele ou disserem que ele não soa como algum outro, não podemos fazer nada a respeito.

Mas enfim, estamos muito felizes com o disco.

E aí? Dá pra esperar até o ano que vem desse jeito?!

LEIA TAMBÉM: Red Hot Chili Peppers não deve ser atração do line-up do Rock In Rio 2022

 
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.
 
Compartilhar