Mick Jagger e Keith Richards (Rolling Stones)
Foto via Wikimedia Commons
 

Quem foi a algum show da atual turnê dos Rolling Stones notou uma diferença grande no setlist: “Brown Sugar” não faz mais parte do repertório ao vivo da banda.

A música, que é bastante popular entre os fãs do grupo, acabou de fora para evitar possíveis críticas a respeito do seu conteúdo. Isso porque, logo na abertura, a letra aborda a escravidão — segundo os Stones, a intenção é fazer uma crítica ao passado, e não celebrá-lo. A frase diz: “Gold coast slave ship bound for cotton fields” (Navio negreiro da Costa Dourada com destino aos campos de algodão).

Em entrevista ao L.A. Times (via Consequence of Sound), Keith Richards lamentou o provável mal entendido, e disse ainda que quer voltar a tocar a faixa em breve. Ele ainda indicou que está tratando do assunto diretamente com a comunidade negra, mas também se mostrou um pouco chateado com a situação.

Estou tentando descobrir com as irmãs exatamente onde está o problema. Não ficou claro que esta é uma música sobre os horrores da escravidão? Mas estão tentando enterrá-la… No momento, não quero entrar em conflito por toda essa merda. Mas espero que possamos ressuscitar esta belezinha em sua glória total em algum lugar ao longo do caminho.

Mick Jagger completou:

Nós tocamos ‘Brown Sugar’ todas as noites desde 1970, então às vezes você pensa, ‘Vamos tirar essa aqui por enquanto e ver o que acontece’.

LEIA TAMBÉM: Com ukulele e supergrupo, Eddie Vedder toca clássico do The Clash em festival

Rolling Stones

A banda está seguindo em frente com sua turnê após a morte de Charlie Watts, seu baterista clássico.

Mais uma vez, Jagger reforçou Watts iria querer exatamente isso: “Fizemos tantos shows com ele e tantas turnês e tantas gravações, é estranho estar sem ele. Quando ele estava doente, ele dizia: ‘Vocês têm que continuar e fazer esta tour. Não parem por minha causa.’ Então não paramos.”

 
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.
 
Compartilhar