Gabriel, o Pensador - Seja Você Mesmo
 

Em Maio de 2001 o icônico rapper brasileiro Gabriel, o Pensador lançou seu quinto disco de estúdio, Seja Você Mesmo (Mas Não Seja Sempre o Mesmo).

Tendo lançado seu primeiro álbum em 1993, o músico brasileiro vinha de uma série frenética de shows e lançamentos, já que até então, lançava um novo álbum a cada dois anos e cumpriu essa “agenda” com Ainda É Só o Começo (1995), Quebra-Cabeça (1997) e Nádegas a Declarar (1999).

Com esses dois últimos, tornou-se um dos maiores artistas do país através de hits como “2345meia78”, “Cachimbo da Paz”, “Festa da Música”, “Tô Vazando”, “Nádegas a Declarar”, “Astronauta” e mais.

Nesses 20 anos de Seja Você Mesmo… relembramos aqui por que esse também é um álbum tão importante na carreira de Gabriel.

Gabriel, o Pensador e as Origens no Rap

Vale lembrar que Gabriel Contino, hoje com 47 anos de idade, nasceu e cresceu no Rio de Janeiro e sempre viu de perto a desigualdade social.

Morando em bairros próximos a favelas, sempre batalhou para que as pessoas trocassem ideias, culturas e lutassem por condições melhores para todos. Foi assim que ele entrou no Rap e também assim conseguiu construir uma ponte entre diferentes classes sociais.

Através da música e das suas denúncias, Gabriel sempre deixou claro que via coisas erradas na sociedade brasileira e planejava diminuí-las, dando espaço às questões que costumavam ficar de fora das paradas.

Continua após o vídeo

Seja Você Mesmo…

Desde o seu título, o disco do Pensador que completou 20 anos em 2021 já deixa claro que o rapper quer realizar conexões.

Conexões entre pessoas, entre diferentes fases das mesmas pessoas, entre assuntos e até mesmo entre gêneros musicais.

Em um disco que foi chamado por muita gente de “o mais pesado” da sua carreira, por contar com várias guitarras, Gabriel contou com nomes como Digão (Raimundos) em “Tem Alguém Aí?” e Lenine em “Brasa”.

…Mas Não Seja Sempre o Mesmo

E é justamente aí que o disco se torna tão importante dentro de um contexto musical como o de 2001.

Sempre questionando as desigualdades sociais, Gabriel fez questão de se mostrar indignado com as “porradas” que o brasileiro vinha tomando diariamente, principalmente no single “Até Quando?”, uma bela amostra do que é o álbum.

Sendo ele mesmo, colocando o dedo na ferida, Gabriel ficou à vontade para não ser sempre o mesmo, incorporando sim as guitarras pesadas, mas também elementos percussivos tradicionais da música brasileira, por exemplo.

Outro ponto alto é “Pega Ladrão!”, que faz críticas duras à classe política brasileira, mirando deputados, senadores e mais, afirmando que “é por causa desses caras que tem gente com fome, que tem gente matando, etcetera e tal”.

Infelizmente, a letra poderia ser cantada tranquilamente nos dias de hoje, e só mostra como de um lado o Brasil maltrata sua população há tempos, mas pelo menos tem gênios como Gabriel, o Pensador para denunciar o que há de errado.

Ouça agora

Você pode ouvir “Até Quando?” e “Pega Ladrão!” na playlist TMDQA! Beats, no Spotify.

O álbum está disponível em todas as plataformas de streaming.

 
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.
 
Compartilhar