Freddie Mercury, do Queen
Reprodução/YouTube
 

Roger Taylor falou sobre a falta de canções políticas do Queen e a justificativa de Freddie Mercury para o assunto.

Em entrevista ao Music Radar (via Ultimate Classic Rock), o baterista, que lançou o disco solo Outsider, revelou que o novo trabalho tem algumas letras com “comentários sociais”, algo que seu grupo principal nunca fez.

Ele explicou:

Foi uma escolha consciente. Logo no início — e você precisa lembrar que havia muita coisa política e pesada acontecendo nos anos 70 —, Freddie disse: ‘Olha, eu não quero me envolver em tudo isso. Eu quero rodar o mundo tocando músicas que as pessoas possam curtir. Não estou aqui para passar uma mensagem’. Ainda acho que é uma boa maneira de ver as coisas. Eu não quero ser muito… enfadonho.

Taylor continuou:

Mas espero ter conseguido ficar do lado certo na linha tênue entre o Rock e a política. Espero nunca chegar ao ponto em que estou discursando no palco, apontando o que há de errado com o mundo. Freddie nunca me perdoaria.

Freddie Mercury

Icônico líder do Queen, Mercury se foi em 1991, aos 45 anos, vítima de complicações da AIDS.

LEIA TAMBÉM: Queen: Roger Taylor diz que Brian May “perdeu interesse” em lançar inédita

 
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.