Fernanda Abreu 30 Anos Baile foto Murilo Alvesso 4
Foto: Murilo Alvesso
 

Em ritmo de celebração, frente aos trinta anos consolidados de carreira, a artista Fernanda Abreu lançou em 16 de setembro dois discos de remixes, em colaboração com inúmeros DJs. O primeiro, 30 Anos de Baile, conta com um total de 13 faixas, enquanto o segundo é composto por 8 faixas em versões estendidas, justamente para que sejam celebradas na pista.

Fernanda começou sua trajetória na banda Blitz, como backing vocal durante a primeira formação do grupo em 1982. A artista permaneceu com o grupo até o final daquela década, conforme vinha se preparando para lançar seu primeiro trabalho solo SLA Radical Disco Dance Club, que revolucionaria a indústria.

Continua após o vídeo

Desde que estreou em carreira solo, Fernanda firmou as raízes na música pop, batizando e coroando o gênero de “pop dançante”, título que a marca até hoje. Mas nem sempre foi assim. Ao mostrar as primeiras demos daquilo que viria a ser seu primeiro disco para a gravadora EMI, a artista tinha recebido a resposta de que não havia mercado no Brasil para aquele tipo de música. 

Segundo Fernanda, sua resposta para a gravadora na época foi assertiva:

Não tinha, vamos inaugurar! Acredita que vai dar certo.

E assim aconteceu. A artista foi pioneira em muitos sentidos: por ser uma das primeiras a utilizar a ferramenta de “sample” na concepção de músicas, ao inaugurar comercialmente um gênero musical pouco difundido no país, pela capacidade de misturar dentro do pop ritmos musicais tão distintos entre si, dentre tantas outras coisas. 

Fernanda Abreu e a relação com os DJs

Um laço artístico importante e fundamental que foi estreitado durante a trajetória de Fernanda é o seu relacionamento com os DJs.

A direção artística dos discos recém-lançados ficou a cargo do DJ Memê. Os dois se conheceram em 1989, antes mesmo de Fernanda lançar SLA Radical Disco Dance Club. A parceria entre os dois já começou nesse primeiro trabalho e foi aumentando com o passar dos anos, como conta o DJ:

Durante todos esses anos de convivência, percebi com clareza que Fernanda sempre apostou fichas nos DJs, criando com eles um laço carinhoso de convivência, harmonia e respeito. Ela jamais os esquece. Havia sempre frases comuns que se repetiam com certa frequência: ‘Memê, acha que os DJs vão entender essa?’, ou ‘Vamos chamar alguns DJs para darem opinião?’. Sorte a nossa ter tanto carinho

Continua após o vídeo

Mas foi apenas trinta anos depois, em 2021, durante um almoço com DJ Memêm que surgiu a ideia de um projeto colaborativo com DJs. Ele relembra o ousado pedido feito por Fernanda:

Memê, quero que os DJs sejam responsáveis pela minha música neste ano de comemoração. Quero fazer o melhor disco de remixes já produzido no Brasil. Me ajuda?

Assim nasce a ideia desse projeto, que conta com figuras célebres em seu encarte, como DJ Zé Pedro, Vintage Culture, Tropkillaz, Dennis DJ e muitos outros. Como se não bastasse isso, Projota e Emicida ainda participaram de duas faixas!

Durante a coletiva de imprensa que ocorreu no próprio dia 16, alguns DJs que participaram dos discos estiveram presentes e deixaram seus agradecimentos. De maneira unânime, estavam emocionados de realizar releituras para faixas clássicas da trajetória da cantora.

30 anos de carreira de Fernanda Abreu

Muitos artistas, ao completarem uma data comemorativa, optam por lançar a versão demo de faixas de sucesso — como uma escolha de não mexer tanto naqueles clássicos. Com 30 Anos de Baile, Fernanda vai na contramão disso e lança discos de releitura/remixagem de seu trabalho sem medo de dar uma nova roupagem às faixas. Quanto a isso, a artista afirma:

A minha relação com essa cena da pista, do baile, dos DJs é muito sólida. Quando eu lancei o meu primeiro disco em 1990, o ‘SLA Radical Dance Disco Club’, essa cena me abraçou de uma maneira muito contundente, às vezes mais do que TV, rádio, imprensa… Eu fiquei sempre muito feliz com essa parceria, então, eu nem pensei na possibilidade de pegar acervos ou demos. Eu queria realmente jogar na mão desses artistas talentosos. Eu acompanhei muito essa caminhada do DJ: primeiro, era o cara que só botava um som na pista, depois passou pelo ‘live PA’, pelo estúdio, por fazer remix e agora são produtores musicais. Fico muito feliz com isso. Eu nem tive dúvida de pegar esse repertório dos trinta anos e entregar na mão desses artistas que são brilhantes no estúdio, fazendo remix e que conhecem tudo.

DJ Memê complementa:

Tem uma coisa muito legal que eu digo para vocês como DJ; lá no início mesmo, quando a Fernanda apareceu, ela foi a primeira artista pop a declarar publicamente: ‘gente, eu sou da pista, eu faço música para a pista, música para dançar’. Porque havia um certo preconceito, isso era colocado em segundo plano, mas com a Fernanda não. Ela assumiu isso como ninguém havia feito até então no Brasil. E eu acho que isso abriu uma porta para encorajar certas pessoas.

Fernanda finaliza:

A música é eterna, é universal, e quanto mais a gente deixa ela viva, mais ela vai se perpetuando para o resto das gerações. É realmente bacana ter essa galera nova de DJs fazendo releituras para a pista, a minha carreira sempre teve também essa pegada de festa e de baile.

São trinta anos de carreira, três décadas repletas de invenção e reinvenção, mas, acima de tudo, são trinta anos provando que a música pop pode ser tão duradoura quanto qualquer outro gênero.

Em 30 Anos de Baile, Fernanda apenas reafirma o quanto uma canção pop lançada em 1990 pode ser tão pertinente, fresca e significativa como era algumas décadas atrás. E não acaba por aí: em 2022, chega um projeto de celebração dos trinta anos de baile sob a ótica de DJs mulheres, com direção artística da jornalista Clau Assef.

   
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.