Josh Homme Desert Sessions If You Run
Reprodução/YouTube
 

Camille Homme, a filha de Josh Homme que conseguiu uma ordem de restrição contra o pai nos últimos dias, reforçou as acusações em uma fala recente através de um comunicado. Além disso, novos esclarecimentos sobre o caso vêm aparecendo.

Como te contamos por aqui, a jovem de 15 anos indicou diversos comportamentos preocupantes de Josh, incluindo ameaças aos filhos, à mãe — Brody Dalle, do The Distillers — e abusos verbais e físicos, além de supostamente dirigir sob efeito de álcool ou drogas. A CoS divulgou um trecho do documento, que diz:

Meus irmãos e eu temos medo de retaliação do nosso pai. Temos medo de que ele possa matar nossa mãe ou o namorado dela. Temos medo de que ele possa nos bater ou continuar a abusar emocionalmente de nós. Por favor, a gente só quer que isso pare.

Antes mesmo dessa notícia, havíamos falado sobre como os irmãos mais novos de Camille tiveram o pedido de ordem de restrição recusados por dois juízes diferentes. Agora, ficamos sabendo também que, além dos pedidos em questão que foram feitos por Brody, a própria Camille tentou proteger os mais novos — mas ouviu da Justiça que, por ser menor de idade, não pode fazer o requerimento em nome deles.

Filha reafirma acusações contra Josh Homme

Um comunicado da advogada do músico, Susan E. Wiesner, acusa Brody Dalle de ter feito o pedido em nome dos filhos para “retaliar Josh por ter conseguido [uma ordem de restrição] contra Brody por seu abuso físico de Josh, além de outras coisas envolvendo as crianças”.

No entanto, em seu novo comunicado, Camille reforçou que foi ela própria quem fez o pedido e que todos os relatos são verdadeiros. Ela disse:

Meu [requerimento de ordem de restrição] não é falso e NÃO foi escrito pela minha Mãe! É um meio para um fim. Tudo que está ali é algo que eu VI, VIVI e OUVI e é 100% verdade. Negar isso é negar o direito humano de liberdade de expressão. Eu queria poder proteger meus irmãos através disso, mas infelizmente, a lei diz o contrário.

A ordem de restrição deve ser julgada em uma audiência marcada para o dia 28 de Setembro. Esperamos, claro, que a situação se resolva o mais rápido possível e com o máximo de segurança para as crianças.