André Abujamra
Crédito: divulgação
 

O músico André Abujamra lançou nas plataformas digitais o álbum Duzoutruz, Volume 1.

No disco, o artista interpreta canções de grandes nomes da música brasileira que fazem parte da playlist de sua vida. André recriou, por exemplo, sucessos de Gilberto Gil, Chico César e Itamar Assumpção.

Antes do lançamento completo, Abujamra divulgou o clipe animado para a faixa “Béradêro”.

“Chico César é um amigo que admiro demais e esta faixa é um canto do fundo da alma. Já ‘Refazenda’ é uma música do Gilberto Gil que não sai da minha cabeça desde a primeira vez que ouvi. Acho incrível a construção de palavras e imagens dessa música. E por fim ‘Mulher Segundo Meu Pai’, do mestre Itamar Assumpção, por quem tenho um carinho muito grande por tudo o que ele representa na música brasileira,” conta.

Filho de Antônio Abujamra, um gigante do teatro brasileiro, André, além de cantor, compositor, guitarrista, percussionista, pianista e produtor musical, é ator e diretor de teatro e cinema.

Ele, que se destacou em nível nacional nos anos 1980 com o duo Os Mulheres Negras junto com Maurício Pereira, também foi líder, guitarrista e vocalista da banda Karnak na década de 1990.

Além disso, André já trabalhou em mais de 70 trilhas sonoras para cinema e TV.

Baião de Spokens

Baião de Spokens
foto: divulgação

O grupo Baião de Spokens, através do selo Amplifica Records, divulgou nas plataformas de streamimg o EP Status Quântico/EPiko.

Repleto de simbologias e referências que atuam como elos narrativos, o compacto mistura o Trip Hop, Afrobeat, Rock, Dub, Samba, Rap e Cantiga, trazendo as participações de Ava Rocha, Dinho Nascimento, Laya, BNegão e Thomas Harrera.

Criado em 2014 por Caco Pontes, o projeto tem inspiração na cultura Spoken Word e sua formação atual é completada por Caleb Mascarenhas, Felipe Pan Chacon, Ligia Kamada e Lua Bernardo.

Junto com o EP, chega um mini documentário feito pelo fotógrafo e videomaker Marcos Zenin, com utilização de imagens captadas a partir de 2019.

ASA

ASA
foto: divulgação

O duo ASA, formado pela voz da cantora baiana Ananda Góes e pelo produtor musical paulistano Fabricio Di Monaco (guitarras, baixo e sintetizadores), lançou nas plataformas digitais o EP Instintos.

Criado e gestado à distância, o compacto apresenta cinco faixas que incorporam a MPB de inspiração setentista e oitentista a um olhar mais atual e alternativo.

Depois do EP Natural, Fabricio sentiu necessidade de dar vida a canções que havia escrito idealizadas para uma voz feminina.

“Queria muito encontrar alguém com quem houvesse afinidade musical e que se interessasse pelo projeto não apenas como intérprete, mas que topasse fazer parte dele. Falei com muitas, em São Paulo, onde moro, mas foi através da indicação de Lucas Arruda, de quem sou parceiro em algumas canções, que cheguei até Ananda, lá de Salvador,” conta ele.

Por sua vez, Ananda, que já fazia parte do premiado projeto Coquetel Banda Larga, sempre quis explorar novas sonoridades e formatos.

“Quando fui contactada por Fabricio, a ideia era uma colab, não sabíamos que acabaríamos virando um duo. E essa evolução do projeto foi algo super sinérgico no início da quarentena,” afirma ela.

Varney

Varney
foto: divulgação

A banda Varney lançou no YouTube o clipe para a música “Quem se Afoga”. O vídeo, roteirizado e dirigido por Felipe Fernandes, mostra os integrantes mascarados se apresentando ao vivo em um estúdio.

A música fala da pandemia e critica fortemente o posicionamento negacionista do Presidente da República, Jair Bolsonaro, e de boa parte da população.

A Varney estreou em 2013 com o álbum Fantasma, baseado em Álvaro de Campos, heterônimo do escritor português Fernando Pessoa, e em obras sobre o niilismo.

Hoje, o quarteto é formado por Thiago Corrêa, Bruno Soares, Bernardo Arenari e Arthur Souza.

Murilo Silvestrim

Murilo Silvestrim

O cantor e compositor Murilo Silvestrim divulgou o disco Encontrar. O álbum apresenta oito faixas que propõem uma jornada de autoconhecimento.

“Encontrar foi pensado como um segundo passo. Um disco menos constante, por assim dizer. Um barquinho que cruzou as ondas, venceu o esforço extenuante do quebra-mar e agora navega por seus próprios meios. O oceano é vasto, e a viagem é cansativa. Por isso, ele vai parando em pequenas e encantadoras ilhas. Cada uma tem um som diferente, uma história pra contar. Um sentimento e um fluxo de energia que emana,” resume Murilo, que estreou há cinco anos com o disco Prisma.