John Frusciante com o RHCP em 2002
Foto de John Frusciante via Shutterstock
 

Mesmo sendo um dos melhores guitarristas do planeta, John Frusciante sempre teve dificuldade em se encaixar. Não à toa, sua trajetória na música é marcada por idas e vindas com o Red Hot Chili Peppers e diversos períodos em que ele se mostrou bastante incomodado com a fama e suas consequências.

Mas, lá em 1994, Frusciante deu uma entrevista pra lá de sincera ao ser questionado sobre a importância da música em sua vida. Falando especificamente sobre o Rock, ele explicou como chegou ao gênero que lhe colocou em evidência:

Toda aquela coisa, aquele sentimento, aquela imagem, tudo foi a razão de eu ter entrado para o Rock and Roll em primeiro lugar. Tipo, bissexualidade e drogas eram as duas coisas na vida que eu relacionava ao Rock and Roll, na minha imagem geral do que era isso quando eu tinha cerca de 9 ou 10 anos de idade, quando eu entrei no Punk Rock. Isso era o mundo inteiro que eu sentia e que não acontecia ao meu redor.

Tipo na escola, o que fazia com que eu sentisse que não tinha motivo para existir. E aí, no Rock and Roll, essas coisas faziam parte do cotidiano. E isso me deu uma razão para viver, para sentir como se eu realmente tivesse um lugar, para sentir que outras pessoas sentiam as mesmas coisas pela vida do que eu.

Forte, hein? Você pode relembrar essa declaração pelo vídeo abaixo, com legendas em português.

John Frusciante falando sobre bissexualidade, drogas e Rock and Roll