Bruce Dickinson (Iron Maiden)
Reprodução/YouTube
 

Depois de ter testado positivo para COVID-19 no início de Agosto, Bruce Dickinson continua compartilhando suas experiências com a doença, que segundo ele não é “apenas uma gripe”.

O icônico vocalista do Iron Maiden foi diagnosticado com a doença mesmo já tendo tomado as duas doses da vacina contra o vírus e, como relatou recentemente, acredita que se não tivesse sido imunizado poderia “estar com sérios problemas”. Há alguns dias, ele também se disse “incrédulo” com pessoas que estão recusando vacinas, como te falamos por aqui.

Segundo a Blabbermouth, o músico mais uma vez falou sobre a importância de se vacinar e relembrou sua experiência com a doença em uma entrevista a uma estação de rádio da Sirius XM (via NME). Ele falou:

Eu tomei minhas duas doses de vacina em Maio e tudo [estava] ótimo, e então eu peguei o que as pessoas estão chamando de ‘infecção rara’ de COVID, que era como uma… É um pouco mais do que uma gripe.

Eu realmente alertaria contra as pessoas que dizem, ‘Ah, é apenas uma gripe’. Não, não é. E eu conheço muitas pessoas que não foram vacinadas – não porque não quisessem, mas eram muito jovens para serem vacinadas inicialmente. Sabe, pessoas de 22, 23, 24 anos que não conseguiram sair da cama por seis a oito semanas depois – elas ficaram muito doentes, o tempo todo.

Bruce Dickinson, COVID-19 e… disfunção erétil

Em seguida, o vocalista citou alguns efeitos a longo prazo da COVID incluindo “diabetes, causando problemas no cérebro, até mesmo – ouso dizer – disfunção erétil. Ai está. Eles não falaram sobre isso quando disseram para você ir se vacinar”. O músico compartilhou mais detalhes sobre o assunto, dizendo:

Há um bom motivo para ir [e tomar a vacina]: porque [COVID] faz seu piupiu murchar. Porque os vasos sanguíneos com COVID podem ficar realmente inflamados, então eles ficam bloqueados e suas extremidades não recebem sangue suficiente e, obviamente, há uma extremidade que é querida ao nosso coração como homem, e se não houver sangue suficiente, então, rapaz, você está em um mundo de sofrimento – ou o contrário.

Dickinson contou que conseguiu “superar” o vírus em dez dias e destacou que levou cerca de uma semana depois disso para recuperar o olfato e começar a se sentir “mais normal”.

Ele ainda reforçou que o coronavírus não provoca “apenas uma gripe comum” e continuou incentivando a vacinação, declarando:

Honestamente, é minha opinião pessoal – não estou forçando ninguém a ir e fazer coisas – mas aconselharia qualquer um a ir em frente e tomar a vacina.

Recado dado! Vale lembrar que, na última sexta-feira (3), a lendária banda disponibilizou seu aguardado décimo sétimo álbum de estúdio Senjutsu.