Inge Ginsberg, vovó do metal
Reprodução/YouTube
 

Uma notícia triste nesta quarta-feira (1). Inge Ginsberg, a “vovó do Death Metal” e uma sobrevivente do Holocausto, morreu aos 99 anos de idade. A causa de sua morte foi insuficiência cardíaca.

Inge ganhou o carinho da internet quando em 2014, aos 93 anos de idade, formou a pesada banda Inge & the Tritone Kings. Seu amor pelo gênero, porém, começou ainda nos anos 90, quando descobriu várias bandas.

Naquele ano, o grupo explodiu na cena quando lançou o single “Totenköpften”. A faixa faz referência à fuga da vocalista durante a Segunda Guerra Mundial: Ginsberg não apenas fugiu para um campo de refugiados suíço quando a guerra começou como também ajudou a passar mensagens entre os combatentes da resistência italiana e os americanos. Este grupo, mais tarde, se tornaria a CIA.

Ao fim da guerra, Inge e seu marido, Otto Kollmann, se mudaram para Hollywood. Lá, ganharam a vida escrevendo músicas para nomes como Nat King Cole, Doris Day e Dean Martin.

Em um documentário do New York Times de 2018 (via Loudwire), ela disse:

Na cultura americana, e até na Europa, os idosos são excluídos da vida… Ninguém realmente se importa com o que você tem a dizer. Meu conceito de céu e inferno é que, no momento da sua morte, se você percebe que sua vida foi plena e boa — isso é o paraíso. E se você pensar, ‘Ah, eu deveria ter feito isso ou aquilo’, então eu acho que é o inferno.

Sábias palavras. Que descanse em paz!

 
Compartilhar