Ozzy Osbourne no programa de Howard Stern em 1996
Reprodução/YouTube
 

Quem estava vivo nos anos 70 certamente se lembra do fenômeno que foi o Black Sabbath e, por consequência, o seu vocalista Ozzy Osbourne.

Acontece que todo esse sucesso teve um preço e o próprio Ozzy não aguentou a pressão, pedindo para deixar o grupo em 1979, abrindo caminho para outros vocalistas — incluindo, claro, Ronnie James Dio. Em uma entrevista com Howard Stern em 2013, Ozzy e o baixista Geezer Butler relembraram esse período.

Inicialmente, Stern pergunta se Geezer teve “vontade de matar” o vocalista por abandonar a banda — ao que Osbourne, com seu característico humor, diz que “estava fazendo um ótimo trabalho [de se matar]” sozinho — e ouve como resposta que a banda estava “caindo aos pedaços” devido à dificuldade de lidar com empresários e advogados.

Stern, então, relembra uma declaração de Geezer de que Ozzy teria morrido se não tivesse deixado o grupo naquela época. Osbourne concorda e explica:

Eu não estava culpando o Black Sabbath. Quando nós começamos e lançamos os primeiros álbuns, foi bem divertido e nós achávamos que todo mundo era honesto. Aí descobrimos que estávamos sendo roubados e fomos até um advogado, e o advogado passou a nos roubar — e eu estava bebendo mais e usando mais drogas.

O vocalista ainda lembrou de uma ocasião em que ele estava dirigindo seu Volkswagen Beetle e teve um choque de realidade ao perceber que o empresário da época passou do seu lado com um Rolls-Royce, um dos carros mais desejados do mundo. Que situação, hein?

Você pode ver todo esse papo na íntegra pelo vídeo abaixo.

Ozzy Osbourne falando sobre saída do Black Sabbath nos anos 70

 
Compartilhar