Nando Reis fala sobre
Reprodução/YouTube
 

Os Titãs não são uma das maiores bandas do Brasil à toa. Além da música, o grupo se consagrou e virou assunto nos anos 80 por seus posicionamentos fortes e diversas polêmicas, e uma das mais absurdas foi relembrada recentemente por Nando Reis em sua participação no Podpah.

Questionado sobre a importância do icônico Cabeça Dinossauro para a banda, Nando falou sobre o período que antecedeu diretamente o lançamento do disco e a importância de uma figura curiosa para os caras:

O ‘Cabeça Dinossauro’ foi lançado em 86, provavelmente no segundo semestre. Há um episódio importante: em 85, a gente tinha feito o nosso segundo disco chamado ‘Televisão’ e o Arnaldo Antunes foi preso. Indiciado por tráfico de heroína! O que era uma coisa, assim, é mais ou menos que nem descer um cara de Júpiter hoje aqui porque, como assim? Tráfico de heroína no Brasil? E era um delírio, não tinha nada, mas ele foi enquadrado, foi preso e a gente se fudeu completamente. Todos os nosso shows foram desmarcados, todos [os compromissos] de televisão…

[…]

E aí eu sempre falo: o único cara que não desmarcou, que nos recebeu, foi o Fausto Silva, que tinha o programa ‘Perdidos da Noite’ na Bandeirantes.

Ainda sobre o tema, Nando relembra um show que foi feito para 11 (!) pessoas e como ele ficou preocupado, já que tinha acabado de ter seu primeiro filho. Foi aí, então, que o grupo fez o Cabeça Dinossauro e estourou de vez, fazendo um show de lançamento “espantoso”, nas palavras de Reis.

Você pode conferir esse relato sensacional pelo vídeo abaixo!

Nando Reis relembrando o “tráfico de heroína” dos Titãs