Paul McCartney
Foto por Rodrigo Simas
 

De acordo com um estudo da Brighton and Sussex Medical School, Paul McCartney é responsável pela conversão de inúmeras pessoas ao vegetarianismo graças à sua iniciativa Meat Free Monday (Segunda Sem Carne).

A nova pesquisa, liderada pelo Dr. Richard de Visser, falou com 655 pessoas que estavam cadastradas no site do programa de Paul e descobriu que, em resumo, uma a cada três pessoas que comem carne e seguem o Segunda Sem Carne por pelo menos cinco anos acabam se tornando vegetarianas. O número é reduzido para 20% dos participantes quando pegamos de três a cinco anos de programa.

Falando sobre os resultados, de Visser comentou (via NME):

Nosso estudo mostrou que campanhas de mudança de comportamento como a Segunda Sem Carne são mais efetivas se conseguem manter o engajamento das pessoas ativo. Agora precisamos trabalhar em desenvolver as melhores formas de manter esse engajamento, através de um oferecimento do tipo de apoio, informação e conselho que os participantes querem.

Além das entrevistas mais gerais, 18 participantes do estudo tiveram conversas mais longas e detalharam sua experiência com a Meat Free Monday. Um deles, chamado Adam, comparou o vegetarianismo com correr na rua, explicando que você “não começa a correr e já vai para uma maratona diretamente” para destacar a importância de uma iniciativa gradual.

Outro dos entrevistados, Nick, explicou que começou fazendo apenas as segundas-feiras e, de repente, “virou quase todos os dias da semana e depois todos os dias da semana, depois todos os dias da semana e a maioria dos finais de semana”, até que ele parou completamente de consumir carne.

Que sensacional, hein?

Paul McCartney e a Segunda Sem Carne

Criado por Paul ao lado de suas filhas Mary Stella McCartney em 2009, o Segunda Sem Carne é um programa bem simples. Basicamente, a ideia é que uma vez por semana — na segunda-feira — as pessoas que comem carne adotem uma dieta baseada em plantas e, com isso, já ajudam a reduzir o aquecimento global, conservam recursos naturais e melhoram sua saúde.

Ao falar sobre o projeto, Macca explica a eficiência que ele possui:

Ao não comer produtos animais um dia por semana, o impacto ambiental é substancial. Por exemplo, se todo mundo na Grã-Bretanha deixasse de comer carne por um dia, reduziria a nossa emissão de carbono mais do que se todo carro fosse tirado da rua por um dia inteiro! Para essas pessoas que acabam indo para uma dieta completamente vegetariana, há obviamente um impacto ambiental ainda maior.

Você pode saber mais sobre a iniciativa pelo site oficial em português clicando aqui.