Drogas
 

A Inglaterra e o País de Gales atingiram no ano passado seu maior número de mortes por uso de drogas desde que esse dado passou a ser registrado em 1993.

De acordo com o Escritório Nacional de Estatísticas britânico (via Mixmag), em 2020 os países citados bateram o recorde existente após ocorrerem 4.561 mortes por abuso de drogas, o que equivale a 79,6 mortes por milhão de pessoas.

O dado que chama atenção marca um aumento de 3,8% do número de mortes registrado em 2019 e também um número crescente de pessoas que faleceram após o uso de cocaína e opiáceos.

Os números representam acidentes fatais, suicídios e complicações geradas por medicamentos controlados e não controlados e também por medicamentos prescritos e de venda livre.

Mortes por uso de drogas atingem novo recorde

Segundo as informações, um quinto das mortes registradas foram causadas por envenenamento acidental. Do total, 777 dos casos gerais envolviam cocaína e aproximadamente metade estava envolvida com um opiáceo.

Os dados ainda mostram que os homens representaram mais de dois terços das mortes mencionadas em 2020, sendo a maior taxa na faixa etária de 45-49 anos.

As taxas apresentadas geram uma maior preocupação com a diminuição dos serviços disponíveis para pessoas vulneráveis.

A Dra. Emily Finch, vice-presidente do corpo docente de dependências do Royal College of Psychiatrists, alerta para os constantes cortes nos serviços de apoio que resultaram em locais mal equipados para tratar as pessoas e evitar que as mortes relacionadas a essas causas aumentem.

Complicado.

 
Compartilhar