Sepultura no Rock In Rio 2019 Andreas Kisser
Foto por Marta Ayora / TMDQA!
 

Convidado recentemente pelo podcast Talk Toomey, o guitarrista Andreas Kisser, do Sepultura, falou sobre os falecidos membros do Slipknot, Joey Jordison e Paul Gray.

O brasileiro lembrou da época em que trabalhou com os dois no projeto The All-Star Sessions, da Roadrunner Records, em 2005:

Eles eram muito jovens. É bem chocante. Eles eram tão criativos, tão boa gente, tão gentis, muito fáceis de trabalhar — ótimas ideias etc..

Eu tive o privilégio de trabalhar de forma muito próxima com Joey [Jordison] e Paul Gray no álbum da Roadrunner United realizado em 2005 em Nova York, o show especial. Nós passamos duas semanas em Los Angeles trabalhando. Éramos eu, Joey Jordison, Paul Gray, Dino Cazares [Fear Factory] e Roy Mayorga [Stone Sour]. E nós meio que organizamos todo o show. Eu toquei, basicamente, toda a apresentação junto com o Dino. E Joey e Paul eram grandes fãs do Sepultura; eles sabiam tudo sobre a banda.

Andreas revelou, inclusive, que decidiu mudar o final de “Roots” por conta de um desejo de Joey Jordison:

Nós até mesmo mudamos o final de ‘Roots’ por sugestão do Joey. [Ele falou], ‘Eu amo essa parte no final que é bem devagar. Mas é muito curta. Vamos alongá-la.’ E nós fizemos isso. Então, é uma versão bastante especial de ‘Roots’, claro, que nós realizamos todos juntos. Foi a última música do show e que representa toda a história do Sepultura com a Roadrunner. E uma versão bem especial por causa dele [Jordison] — porque ele queria fazer essa adaptação. E aconteceu dessa forma.

Andres Kisser, Paul Gray e a Hail!

O guitarrista também comentou que planejava montar uma nova banda com Paul Gray pouco antes de sua morte:

Com Paul, nós até mesmo falamos sobre fazermos algo juntos, um projeto especial. Ele estava na minha banda Hail!, que tinha ainda Tim ‘Ripper’ Owens e Paul Bostaph. Mas foi na semana em que ele morreu. Ele estava ensaiando para a gente se reunir e sair em turnê pela Europa e tal. Então, nós estávamos criando algo juntos. E a Hail! foi a primeira coisa que a gente começou. E, infelizmente, não aconteceu.

Na mesma entrevista, Andreas Kisser prestou condolências a todos os envolvidos no festival Knotfest, aos fãs do Slipknot e a todos que de certa maneira sentem ou sentiram a morte dos músicos. Ele disse também que guardará para sempre as excelentes memórias que tem de Joey e Paul.

Mortes precoces de Joey Jordison e Paul Gray

Joey Jordison faleceu na semana passada aos 46 anos. A família afirma que, no momento de sua morte, o baterista dormia pacificamente. Ele sofria de uma doença neurológica chamada mielite transversa e havia sido demitido do Slipknot em 2013. No entanto, a causa de seu falecimento não foi divulgada.

Já Paul Gray morreu há 11 anos, em Maio de 2010. Ele tinha 38 anos e foi vítima de uma overdose acidental de morfina e fentanil. Na época, o baixista era um dos três membros fundadores do Slipknot ainda na banda.

Foram enormes perdas para o Metal! Abaixo, você pode ouvir a faixa “The Enemy”, gravada por Andreas Kisser e Paul Gray para o The All-Star Sessions.

LEIA TAMBÉM: O dia em que o Sepultura foi ameaçado e quase preso no Egito