Sepultura quase preso no Egito
Reprodução/YouTube
 

Em uma participação recente no podcast Colisão, o baterista Eloy Casagrande contou uma história pra lá de desesperadora envolvendo a passagem do Sepultura pelo Egito.

O que tinha tudo para ser uma apresentação histórica da banda brasileira e que começou com um belo passeio pelas maravilhas do país tomou outras proporções quando chegou o dia de tocar, conforme conta o músico:

A equipe foi pra montagem do show, e era um contratante, cara… acho que ele não podia fazer o show porque já tava rolando uma pressão do governo pra boicotar o show, então ele não pôde fazer em nenhuma casa de shows. Então ele conseguiu uma casa, que tinha um quintal bem grande, e ele levantou um palco no quintal da casa e a equipe foi lá e começou a montar o palco.

Cara, tava quase pronto, apareceu o Exército. O governo mandou dois caminhões com vinte soldados, chegaram com a arma, ‘Todo mundo fora, vão embora, não vai acontecer show nenhum. Vocês são brasileiros? Então podem ir pro hotel, vão embora daqui’. Não podia fazer show de Metal, com os motivos do governo em si — um governo muito religioso, então tinha a questão religiosa, política, Sepultura é uma banda de protesto e o cara ali com uma ditadura estabelecida no Egito, pensa ‘Esses caras vão me ferrar’. [risos] Acho que ele pegou o encartezinho do CD ali, começou a ler, ‘Hmm, vai dar merda’. [risos]

Como se não bastasse, Eloy conta ainda que um segurança era muito fã do Sepultura e ameaçou o empresário da banda com uma arma para que eles tocassem em um pub de um de seus colegas. A informação novamente chegou no governo, e o contratante do primeiro show avisou que todos seriam presos — os músicos conseguiram se livrar a tempo.

O próprio retorno ao Brasil também foi complicado, e você pode entender tudo isso melhor pelo vídeo abaixo.

O dia em que o Sepultura quase foi preso no Egito

 
Compartilhar