Jon Schaffer, do Iced Earth, na invasão ao Capitólio
Foto via Wikimedia Commons
 

Se você acompanhou as eleições dos EUA, deve se lembrar da invasão do Capitólio no dia 6 de Janeiro em nome de Donald Trump. Talvez você se lembre também que um dos envolvidos era ninguém menos que Jon Schaffer, líder do Iced Earth.

O vocalista e guitarrista da banda de Metal se entregou às autoridades no dia 17 de Janeiro, depois que fotos de sua presença na invasão viralizaram na internet. Ele foi preso e passou 89 dias na cadeia, e agora aguarda sua sentença definitiva em liberdade.

Esses 89 dias, no entanto, parecem ter sido bem complicados para Schaffer. Como conta a Loudwire, o advogado do músico teria citado a um juiz que seu cliente passou “dois meses no inferno” e teria até mesmo sido atacado com fezes e urina durante o tempo no presídio:

O meu cliente, que tem presunção de inocência, acabou de passar dois meses no inferno onde outras pessoas estavam jogando fezes nele e urina nele e ameaçando sua vida em uma situação horrível, horrível.

De fato, Schaffer chegou a reportar às autoridades as ameaças que recebeu enquanto ainda estava na prisão. Um dos presos que teria supostamente ameaçado Jon, aliás, já tinha diversos relatos de agressão durante seu tempo na cadeia — o que fez com que o músico fosse trocado de bloco.

Julgamento de Jon Schaffer

Ainda não há um resultado para o julgamento do metaleiro, mas o juiz responsável chegou a pedir desculpas para ele por “saber que não é assim que nosso sistema de justiça criminal deve funcionar”.

Ele pode pegar até 30 anos de prisão pela participação na insurreição, mas a tendência é que a sentença fique entre 3 anos e meio ou 4 anos e meio de cadeia, por meio de um acordo entre a promotoria e os advogados do músico.

 
Compartilhar