obey!
Foto por Ygor Mattos
 

Formada em Juiz de Fora, a banda mineira de hardcore OBEY! acaba de lançar o seu novo single, intitulado “Desacato”. A faixa, que chega com força e peso, é um grito de revolta contra a violência policial.

Ao longo da canção, o quinteto mostra toda a sua indignação com os abusos praticados por aqueles que se acham no direito de impor as suas vontades apenas por ter a máquina do poder em suas mãos. A composição surgiu logo após a notícia do massacre na favela de Paraisópolis na tentativa de inviabilizar um baile funk, em 2019. Com uma ação duvidosa, a PM de São Paulo invade a ruela com truculência e agressividade, causando confusão e correria, deixando 9 jovens mortos por pisoteamento.

Riffs de guitarra bem marcados e pontuados firmam com energia sua estrutura, enquanto a bateria e o baixo adicionam groove à faixa. “Desacato” conta com participação do percussionista Rick Guilhem, que soma influências tribais e ritmos brasileiros ao som da banda.

O single fará parte do novo EP da OBEY!, [DES]HUMANO, onde o quinteto, formado por Igor Santos (vocal), Douglas Rodrigues (guitarra), Marcel Melo (guitarra), Matheus Pierrot (baixo) e Filipe Tedeschi (bateria), vai abordar com maior força a temática político-social do Brasil.

O single, assim como o EP, foi captado no Rise Together Studio, em Juiz de Fora, e mixado e masterizado por Lucas Guerra (Pense), no Estúdio Guerra, em Belo Horizonte.

Ouça agora “Desacato”, disponível nas principais plataformas de streaming.

Guto Ginjo

guto-ginjo
Foto por Gabriel Silva (Alfazema Fotografia)

O músico Guto Ginjo, vocalista da banda Fevereiro da Silva, fechou o mês de Junho com o lançamento do seu excelente álbum de estreia, Sobre o Que Tem Pra Depois.

O registro apresenta dez faixas inéditas, incluindo os singles “Na Hora da Queda”, “Constelar” e “Pássaro-Homem”. Compostas pelo artista, as canções retratam sua experiência de vida e sua visão de mundo, abordando temas como amizade, superação pessoal e relacionamento.

No trabalho solo, Guto Ginjo se afasta um pouco da sonoridade de sua banda. Ele conta que, no começo do processo, já tinha uma sonoridade em mente, mas durante as gravações em estúdio o disco foi criando uma sonoridade própria, “sem se aproximar exatamente de algo que possa citar”, reflete.

O rock é a base de todas as músicas do disco, mas tem música que flerta com folk, outra com a musicalidade do Brasil dos anos 70 e mesmo com um rock mais clássico. É difícil descrever de forma que siga apenas uma direção, foram várias as referências para composição do disco, desde música brasileira até bandas internacionais dos anos 90 e 2000.

As gravações rolaram no estúdio WeCanDo, em Joinville, e foram feitas com verba de um financiamento coletivo realizado em 2019. O lançamento ocorre somente agora devido às dificuldades de gravar em meio a pandemia.

O disco contou com a produção e a bateria de Tiago Luis Pereira (Mosaico Adulto). O baixo ficou a cargo do diretor do estúdio, Julay, também responsável pela coprodução. O guitarrista solo Júnior Gonçalves completa o quarteto de músicos principais. Nas participações especiais, o álbum traz Parffit Balsanelli (Os Depira / Cachorro do Mato), responsável pelo baixo das músicas “Breve” e “Conto do Vigário”, Lucas Machado (Fevereiro da Silva), nas percussões e Magdiel Lopes, tocando trompete em “Turbilhão”.

Ouça abaixo o álbum Sobre o Que Tem Pra Depois na íntegra.

Victor Mus

Victor-Mus
Foto: Divulgação / Zéca Vieira

Um dos destaques da nova MPB, o músico carioca Victor Mus está lançando o projeto íntimo, uma trilogia em voz e violão que já conta com as faixas “Apaixonado” e “Logo de Manhã“. As canções foram compostas para a sua esposa, com quem passou a partilhar o teto durante a pandemia.

Os singles valorizam a voz rouca e os acordes do violão, grandes marcas do músico, um genuíno representante da poesia em forma de canção. Segundo Mus, a ideia de apresentar as novidades de maneira mais crua, explorando o formato voz e violão, é mais um passo na aproximação com o público.

“Apaixonado” e “Logo de Manhã” contam com produção musical de Pedro Guinu. A trilogia fechará com a faixa “Lá Fora”. Além das músicas, o projeto conta com textos autorais e vídeos, que vêm sendo lançados nas redes sociais de Victor Mus, explorando o amor na intimidade e na rotina da vida a dois.

Os clipes, dirigidos pela dupla carioca Lufe e Mig, foram filmados na casa de Mus. Neles, o artista contracena com a esposa e apresenta ao espectador um pouco de sua rotina e relação a partir de um ponto de vista bastante sutil e aconchegante, em ações rotineiras que acabam conversando com a simplicidade das canções.

Você confere os lindos clipes de “Apaixonado” e “Logo de Manhã” nos players abaixo.