Alex Lifeson (Rush)
Foto via Wikimedia Commons
 

É, ao que tudo indica o Rush realmente chegou ao fim.

Isso é o que fica subentendido depois de Alex Lifeson, guitarrista e membro fundador do grupo, dizer que “não há como o Rush voltar a existir” sem a presença do saudoso baterista Neil Peart, que faleceu em Janeiro de 2020.

Em conversa com Eddie Trunk da SiriusXM, o músico foi sincero sobre o futuro da banda que realizou seu último show em Agosto de 2015, mas não descartou a possibilidade de fazer performances pontuais que não incluam, necessariamente, o vocalista Geddy Lee e o nome do banda, para atender os fãs do icônico grupo (via UCR):

Acho que, realmente, o Rush acabou em 2015. Não há como o Rush voltar a existir, porque Neil não está aqui para fazer parte dele. Isso não quer dizer que não possamos fazer outras coisas, e não possamos fazer coisas que beneficiem nossas comunidades e tudo isso. Tenho muitos planos para esse tipo de coisa que não incluem necessariamente Geddy.

Lifeson aproveitou o assunto para reforçar sua admiração por Lee, que é seu amigo desde a adolescência, e dizer que o fato deles trabalharem juntos por muito tempo colaborou para resultar em uma duradoura relação. Sobre isso, ele declarou:

Tivemos uma história tão boa e fizemos tantas coisas boas juntos. Não é realmente um grande problema se, para o resto de nossas vidas, formos apenas melhores amigos.

Alex Lifeson sem o Rush

O músico comentou na entrevista sobre as expectativas com relação à vocalista Maiah Wynne, de sua nova banda Envy of None, que também conta com o vocalista e baixista Andy Curran, o guitarrista Alfio Annibalini e os bateristas Tim Oxford e David Quinton Steinberg.

Segundo Lifeson, Wynne é “muito mais jovem do que qualquer um” da banda possui um desejo de pegar a estrada e fazer “uma turnê de verdade”. No entanto, o guitarrista admitiu que não sente falta da experiência dos shows ao vivo:

Eu fiz isso algumas vezes desde então, em locais menores com projetos menores, principalmente coisas de caridade. É divertido quando é para algumas centenas de pessoas, e eu não me importo. Mas para fazer toda a grande produção, não tenho tanta certeza. Sou muito preguiçoso por natureza. Eu não sei se eu gostaria de mergulhar nisso novamente. 

Em Junho, Alex lançou duas novas músicas solo, “Kabul Blues” e “Spy House”. Saiba mais aqui.

 
Compartilhar