Belvedere
Foto: Divulgação
 

A banda canadense de skate-punk e hardcore Belvedere acaba de lançar o seu sexto disco de estúdio e mais uma vez traz o som que mistura melodia, muita virtuosidade e uma qualidade digna do reconhecimento que colocou o grupo no patamar dos nomes de destaque do estilo.

Já são mais de 25 anos de atividade, completados em 2020 e comemorados de forma oficial nesse ano, turnês por todo o mundo e uma forma de fazer hardcore que ainda surpreende a geração mais antiga de fãs e arrebata novos ouvintes a cada trabalho.

Handsight Is The Sixth Sense traz guitarras precisas, arranjos complexos e super bem elaborados ao longo de 13 faixas com influências de discos do começo dos anos 2000 como Angels Live In My Town somados a sonoridades de trabalhos mais recentes como o ótimo The Revenge Of The Fifth de 2016.

Faixas como “Happily Never After” e “Good Grief Retreat” destacam uma outra grande característica do Belvedere que são as conhecidas linhas de harmonia vocal do quarteto formado agora por Steven Rawles (voz), Dan Wollach (guitarra), Ryan Mumby (baixo) e Casey Lewis (bateria).

Continua após o vídeo

Vale aumentar o volume em “Camera Obscura”, “Retina” e “Chromatic” onde a banda abusa da velocidade de todos os instrumentos mostrando todas as vertentes que o hardcore pode alcançar.

No canal da banda é possível conferir os vídeos que foram disponibilizados com os integrantes tocando algumas faixas e mostrando os arranjos em seus respectivos instrumentos.

O Belvedere continua seguindo uma linha de bons lançamentos fazendo com que o Canadá não seja esquecido na cena do hardcore melódico com mais um ótimo trabalho que com certeza emplacará alguns sons entre os clássicos da carreira do quarteto.

Batemos um papo com o vocalista Steven Rawles para falarmos do disco, do hardcore brasileiro e das expectativas para uma nova turnê quando tudo voltar ao normal na pós-pandemia.

TMDQA!: Olá, Steven! É um grande prazer recebê-lo aqui no Tenho Mais Discos Que Amigos.

Steven Rawles: Muito obrigado, realmente é um prazer estar aqui nesse papo com vocês!

TMDQA!: 25 anos de carreira e mais um disco lançado, um título curioso e forte.
Qual o significado do nome do álbum “Hindsight Is The Sixth Sense” (em português “A Retrospectiva é o Sexto Sentido”)

Steven Rawles: Bem, todos os nossos álbuns têm 5 palavras com 6 sílabas, então tivemos que ajustar um pouco o formato. Nosso baterista, Casey Lewis, pensou no título logo depois que passei uma semana tentando pensar em algo bom (risos). A retrospectiva é realmente importante se você pretende aprender com seus erros e, potencialmente, tentar corrigi-los.

TMDQA!: Vocês são conhecidos por um hardcore cheio de virtuosismo, o que os diferenciam de muitas outras bandas do estilo. Quais são as principais influências do Belvedere para fazer esse som?

Steven Rawles: Obrigado por dizer isso. Acho que pegamos influência de muitas bandas punk e hardcore do início a meados dos anos 90, mas tentamos adicionar nosso estilo e tentamos muito não copiá-las. Todos nós crescemos ouvindo músicas diferentes, eu diria que RKL, SNFU, Bad Religion, Lagwagon e NOFX ajudaram a formar o tipo de banda que nos tornamos.

TMDQA!: Como foi o processo de produção e divulgação de um disco em meio a um período de pandemia?

Steven Rawles: Tivemos muita sorte do nosso baterista, Casey, ter seu próprio estúdio. Desta forma, pudemos gravar sem restrições de tempo e realmente tirar as músicas do estúdio e ouvi-las antes de tomarmos as próximas decisões.

Nós gravamos a maior parte do álbum lá também. Por causa da pandemia, nosso baixista não podia voar de Toronto para Calgary, então ele gravou suas partes de baixo em seu apartamento em Toronto. Embora tenha sido um momento desafiador, esta foi uma das gravações mais divertidas e relaxadas de que já fiz parte.

Continua após o vídeo

TMDQA!: Vocês já passaram pelo Brasil fazendo shows memoráveis ​e têm uma ótima conexão com o público daqui. Em relação às bandas brasileiras, o que você conhece do nosso hardcore ou da música brasileira em geral?

Steven Rawles!: Eu simplesmente amo viajar pelo Brasil e pela América Latina em geral. O Brasil era um lugar que ouvíamos falar que tínhamos muitos fãs, mas não pudemos vê-los ao vivo até 2012, quando viajamos com o Less Than Jake.

Depois de cada show que fazemos, tento entrar no meio da multidão e falar com todos. As pessoas são muito calorosas e acolhedoras.

Conheci várias bandas brasileiras ao longo dos anos. As primeiras bandas que conheci foram Nitrominds, Dead Fish e Garage Fuzz. Na verdade, o Nitrominds tocou com o Belvedere no Canadá há muitos anos. Conheci mais bandas ao longo dos anos – 69 Enfermos, Vitamin X, Against The Hero.

Existem muitas bandas ótimas no Brasil e parece que é uma cena musical muito agitada.

TMDQA! Vários lugares do mundo já estão começando a voltar às atividades normais e infelizmente o Brasil parece que será um dos últimos lugares a finalizar a vacinação. Já existem planos para uma turnê mundial?

Steven Rawles: Estamos lentamente procurando opções para o Canadá e a Europa no final de 2021, mas não tenho certeza de quanto isso vai acontecer. A partir daí, olharemos para o início de 2022 para tentar compensar o máximo possível dos shows cancelados que tivemos. Tivemos quase 90 shows adiados no Canadá, Europa e México. Assim que formos capazes de fazer isso, esperamos estender a turnê para a América do Sul, Japão e Estados Unidos.

TMDQA!: Estamos torcendo por isso, Steven! Muito obrigado por estar conosco e esperamos que em 2022 a banda venha ao Brasil para comemorar o fim de todo esse momento de caos que estamos passando!

Steven Rawles: Muito obrigado pelo seu tempo. Faremos uma turnê pelo Brasil assim que pudermos. Estamos ansiosos para vê-los novamente em breve. Fiquem seguros e cuidem uns dos outros.

Saúde!

Ouça Hindsight Is The Sixth Sense na íntegra: