Gordon Raphael e Atalhos
Créditos: Gordon Raphael por Medusa Xeroxes e Atalhos por Bruno Alfano
 

O que poderia sair do inusitado encontro entre o duo paulistano Atalhos e o renomado produtor Gordon Raphael, que fez parte de um dos momentos que deu novos rumos para a música mundial, quando produziu o primeiro disco do The Strokes, em 2001?

“Mesmo Coração” é o resultado dessa parceria que nasceu de um desejo de dar uma nova cara para uma faixa que já havia sido lançada pela dupla formada por Gabriel Soares e Conrado Passarelli e que agora ganhou duas versões, uma delas trazendo a produção de Gordon Raphael e do chileno Ives Sepúlveda, do The Holydrug Couple.

Continua após o vídeo

A história de Gordon Raphael na música mundial ficou eternizada quando o produtor cruzou o caminho dos integrantes dos Strokes em Nova York e juntos iniciaram a produção do primeiro disco que derrubou todas as fronteiras mundiais principalmente devido ao mega hit “Last Nite”.

De um desconhecido músico e produtor que veio de Seattle e viveu a época da cena grunge até se tornar um dos nomes mais cobiçados para as produções musicais, Gordon também viu sua vida mudar após o primeiro álbum da banda americana.

Já a Atalhos vem de uma trajetória marcada por bons trabalhos e se prepara para lançar o álbum A Tentação do Fracasso, programado para sair ainda para esse ano.

Enquanto o novo disco não chega, vale a pena dar uma conferida nos últimos lançamentos da banda, incluindo a excelente “Te Encontrei em SP”, que conta com a participação da cantora argentina Delfina Campos e o disco Animais Feridos (2017).

Continua após o vídeo

Tivemos o prazer de conversar com Gordon Raphael e com Gabriel Soares para falarmos dessa parceria e de outras boas histórias:

TMDQA!: Gordon, vamos partir do início. Você lembra quando foi o seu primeiro contato com a música?

Gordon Raphael: Sim, meu pai tocava saxofone e jazz, ele cresceu em Nova York durante o auge do jazz e o sonho dele era tocar saxofone. Eu ouvi ele tocando durante toda a minha infância e pra ser honesto, eu não gostava de jazz, pra mim era muito barulhento e estranho, mas um dia quando ele trouxe pra casa o Sgt Pepper’s Lonelys Heart Club Band dos Beatles, percebi que era daquilo que eu gostava

TMDQA!: Mas você toca algum instrumento como saxofone, algo relacionado ao jazz ou não?

Gordon Raphael: Não. Eu comecei no piano, eu não toco jazz, eu toco algo mais clássico e toco rock and roll.

TMDQA ! Como foi o seu início com os Strokes? Como a repercussão mundial do primeiro disco deles mudou a sua vida? Nós sempre testemuhamos as mudanças relacionadas à vida da banda, mas como a sua vida de produtor mudou após um disco de sucesso mundial?

Gordon Raphael: Antes dos Strokes, eu passei duas décadas em estúdios e garagens trabalhando nas minhas músicas e de outras bandas e ninguém havia ouvido falar dos meus trabalhos pois nada que eu tivesse feito até então tinha alcançado fama mundial.

A primeira coisa de grande sucesso foi o disco dos Strokes e de repente todos sabiam quem eu era. Eles colocaram a minha foto no encarte do disco.

TMDQA!: Sim, inclusive nesse exato momento eu estou vendo esse disco aqui na minha frente com a sua foto nele.

Gordon Raphael: Sim, nenhum produtor tem uma foto nos discos das bandas de rock. Após tudo isso, eu fui convidado para ir a várias festas, viajei por todo o mundo gravando outras bandas. Minha vida mudou imediatamente.

TMDQA!: Você viveu em Seattle na época da cena grunge, certo? Como foi esse período?

Gordon Raphael: Foi incrível. Era muito bom por que Seattle sempre teve música boa e ninguém no mundo sabia nada a respeito. E por oito anos o mundo inteiro estava olhando para a nossa cidade, foi incrível.

Nós encontrávamos muita diversão na nossa cidade, os clubes abriam todas as noites, shows aconteciam todos os dias. Foi uma cena espetacular!

TMQDA!: Você ainda mantém contato com os Strokes?

Gordon Raphael: Sim. Um pouco. Nós estivemos num programa de TV, eu e os cinco caras, e conversamos um pouco.

TMDQA!: E qual foi o seu primeiro contato com a música brasileira? Você ouve alguma banda do Brasil?

Gordon Raphael: Na escola aprendemos sobre Tom Jobim e ouvíamos as músicas dele. Em Seattle todos conhecem a obra de Jobim. E meu primeiro contato real foi quando recebi um convite para ir a Florianópolis para gravar a banda Audac. Foi a primeira vez que estive no Brasil.

Atalhos

TMQDA!: Gabriel, qual foi o seu primeiro contato com o Gordon e como foi a ideia de trabalhar com ele e com o Ives Sepúlveda?

Gabriel Soares: O primeiro que veio com a ideia de trabalharmos juntos foi o nosso manager Bruno Montalvão. Bruno é um cara incrível e ele tinha visto algo do Gordon no Instagram, eu acho.

Ele sabe que o Gordon ama o Brasil, ama a América do Sul e então ele mandou um email perguntando se Gordon topava fazer um remix do nosso single “Mesmo Coração”.

Em poucas horas o Gordon respondeu o email falando que havia curtido nosso som no Spotify e eu fiquei muito feliz quando Bruno Montalvão nos disse “Acho que deveríamos ter o Gordon Raphael fazendo um remix para a Atalhos. Acho que seria interessante…”

Foi uma ótima ideia e foi dessa forma que nos encontramos pela primeira vez.

TMDQA!: E como foi o processo de produção dessa nova produção de “Mesmo Coração”?

Gabriel Soares: Yves trabalhou com a gente em todo o disco e quando soube da notícia do Gordon de fazer o remix de “Mesmo Coração”, eu convidei Yves para fazer mais um remix e agora temos duas versões da mesma música.

TMDQA!: E Gordon, pra você como foi esse processo de construção de “Mesmo Coração” com a Atalhos?

Gordon Raphael: Primeiro de tudo quando chegou um email para trabalhar com uma banda do Brasil, eu fiquei realmente animado, pois é raro ter alguma conexão com o Brasil e eu quero ter mais dessas conexões.

Foi uma grande surpresa, pois quando fui ouvir a música, vi que era maravilhosa e aí soube que poderia trabalhar nela.

Quando eu penso em um remix, geralmente quero destruir a música e construir de volta de uma maneira diferente, mas quando eu ouvi a música da Atalhos pensei “É tão linda!” e eu pensei que poderia deixá-la ainda mais bonita.

Eu não queria fazer uma música nova. Eu queria pegar todos os elementos e dar o meu ponto de vista. Trabalhei com o Gabriel até chegarmos num ponto que ele gostasse e foi uma grande colaboração.

TMDQA!: Gabriel e quando vocês decidiram fazer duas versões da mesma música?

Gabriel Soares: Quando eu ouvi a primeira versão do Gordon, onde ele deixou a música mais bonita e mais parecida com a versão original, tivemos essa ideia.

Eu queria ter alguém como o Ives para “destruir” a música. Assim nós poderíamos ter uma versão mais radical, mais diferente de tudo.

Acho muito bom ter a versão do Gordon, mais similar à faixa original e temos essa versão do Ives, outra coisa, outro universo, mas permanece a mesma música.

Continua após o vídeo

TMDQA!: Gabriel, num mundo digital em que a música chega em minutos em qualquer lugar do planeta, qual a importância de ter nomes como o Ives e o Gordon trabalhando com a banda?

Gabriel Soares: Pra mim é muito importante, porque como músico eu posso aprender com eles. É muito importante ter o feedback e algumas ideias do Gordon.

Estou muito feliz de tê-los trabalhando com a Atalhos, é uma grande honra.

TMDQA!: Vocês tocaram no festival da KEXP em comemoração aos 10 anos do programa El Sonido e foram a única banda brasileira a estar nesse importante line-up. Qual a importância de participar de evento desse porte?

Gabriel Soares: Sim, as faixas “Mesmo Coração” e “Tentação do Fracasso” tocaram no programa El Sonido na KEXP. Eu estava em Assunção no Paraguai e nosso manager nos ligou e disse “Caras, você tem que voltar pro Brasil para gravar uma session para a KEXP.” Novamente nosso manager Bruno Montalvão nos mandando boas notícias.

Ficamos muito felizes e honrados em participar como a única banda do Brasil. É muito importante pra nós ver o nome da Atalhos no meio de tantos outros nomes mundiais e acho que no próximo ano nós iremos gravar em Seattle e será muito importante pra nós.

Gordon Raphael: Queria falar uma coisa… Eu sou de Seattle e a KEXP é uma grande rádio, uma das mais importantes de todo o mundo, todos conhecem e uma das coisas mais legais de Seattle é a KEXP.

TMDQA!: Gordon, deixe um recado final para os amantes de música no Brasil. Esperamos ver você em breve trabalhando com outras bandas do Brasil.

Gordon Raphael: Eu estive em turnê com a minha banda da Argentina e tocamos no Brasil em 2018 e gravei 4 músicas em Floripa com a minha banda e enviei para o Bruno Montalvão porque talvez ele me ajudaria a lançar e eu quero voltar, quero conhecer outras coisas da música brasileira.

Muito obrigado a Atalhos e ao Tenho Mais Discos Que Amigos! por bater esse papo comigo hoje.

TMDQA!: E você, Gabriel, obrigado e parabéns pelo trabalho com a Atalhos. Deixe a sua mensagem final para os leitores do Tenho Mais Discos.

Gabriel Soares: Muito obrigado ao Gordon por fazer parte de tudo isso! Estou bem feliz de estar aqui com vocês e Gordon, talvez próximo ano estaremos juntos em Seattle.

Eu sou um grande fã do Tenho Mais Discos Que Amigos! e pra mim é uma honra estar nesse papo com vocês!