Robert Smith com o The Cure em Praga, 2016
Foto de Robert Smith com o The Cure via Shutterstock
 

É difícil imaginar que o The Cure pode estar na escalação de um festival de música eletrônica, mas essa foi a aposta feita pelo Ultra, lendário evento do gênero, na sua edição realizada em Miami em 2007. E, pelo visto, Robert Smith não curtiu nem um pouco a experiência.

Em uma entrevista feita recentemente por Jonathan Dean (do The Sunday Times) e compartilhada no Twitter, o lendário músico falou sobre essa ocasião e como foi frustrante tocar para um público que não queria vê-los:

Nós fizemos aquele festival de ‘dance’ [música eletrônica] em Miami há uns 15 anos — um dos festivais mais estranhos que nós já fizemos. Eu levei isso tão a sério [que] a gente foi e regravou todas as músicas que já tínhamos feito com meio que um… [faz uma batida de ‘dance music’].

Foi uma merda. [A reação foi] terrível! 100 mil pessoas pedindo pelo Tiësto. Nós deveríamos ter tocado uma marcha fúnebre de 20 minutos — pelo menos a gente teria ficado um pouco satisfeito.

É, talvez não tenha casado muito bem essa combinação, né? Curiosamente, os vídeos que existem dessa apresentação em geral trazem comentários positivos, de fãs que têm boas memórias da curiosa apresentação.

Você pode conferir alguns desses registros logo abaixo.

The Cure no Ultra Miami 2007

 
Compartilhar