Ouça a Playlist Climão de Dia dos Namorados!   Ouça o novo álbum do Melim!  

Nos últimos tempos, a mídia e os fãs de Quentin Tarantino não cansaram de especular sobre os próximos passos da carreira do diretor, que pode vir a realizar o terceiro filme da saga Kill Bill e também um crossover dos personagens Django e Zorro.

Porém, talvez esses projetos nunca saiam do papel. Durante entrevista ao podcast Pure Cinema dedicado a “últimos filmes”, o cineasta americano revelou que Era Uma Vez em… Hollywood (2019) pode ter sido sua contribuição final nas telonas.

Responsável por outros títulos importantes do cinema, como Django Livre (2012), Pulp Fiction: Tempo de Violência (1994) e Cães de Aluguel (1992), Quentin afirmou na conversa que ficaria satisfeito se o longa protagonizado por Leonardo DiCaprio e Brad Pitt dois anos atrás encerrasse sua carreira:

A maioria dos diretores tem últimos filmes horríveis. Geralmente, seus piores filmes são os últimos. É o caso da maior parte dos diretores da Era de Ouro que realizaram seus piores filmes no final da década de 1960 e nos anos 1970, o que também foi o caso dos diretores da Nova Hollywood no final da década de 1980 e nos anos 1990. Talvez eu não deva fazer mais um longa porque eu ficaria realmente feliz ‘apagando as luzes’ com ‘Era Uma Vez em… Hollywood’.

Aposentadoria já havia sido discutida antes

Esta não foi a primeira vez que o diretor sugeriu uma aposentadoria. Em 2019, ele foi entrevistado para a GQ australiana justamente durante a divulgação de Era Uma Vez em… Hollywood e disse que poderia partir para uma carreira no teatro:

Quando eu penso nos filmes, chego à conclusão que cheguei ao final da estrada. Eu me vejo escrevendo adaptações de livros e começando a escrever para o teatro, assim eu ainda seria criativo. Eu apenas penso que que já dei de tudo para o cinema.

De fato, se Tarantino optar por encerrar a carreira com Era Uma Vez em… Hollywood, o cineasta vai sair de cena bastante por cima. Afinal, o longa foi indicado em dez categorias do Oscar, vencendo Direção de Arte e Melhor Ator Coadjuvante (Brad Pitt).

No entanto, a gente espera que Quentin Tarantino siga nos presenteando com grandes obras na telona e até mesmo conquistando seu primeiro Oscar como diretor — ele já bateu na trave em três cerimônias. Por que não?

LEIA TAMBÉM: Quentin Tarantino e o amor de Kurt Cobain por “Cães de Aluguel”