Sepultura e o Nado Artístico
 

Você já imaginou ver uma apresentação da equipe brasileira de nado artístico ao som de heavy metal? Se não, pode se preparar porque isso vai acontecer.

As atletas titulares Laura Miccuci e Luísa Borges, junto à reserva Maria Bruno, decidiram realizar sua performance no evento pré-olímpico com músicas da aclamada banda brasileira Sepultura.

Sabemos que muitas vezes atletas brasileiros de categorias que envolvem música acabam escolhendo para suas apresentações gêneros mais óbvios como Samba ou Bossa Nova, mas as profissionais de nado artístico deste ano optaram por algo que conseguisse transmitir a força do esporte.

O Globo Esporte promoveu um encontro virtual entre as atletas e os integrantes do Sepultura Andreas Kisser e Paulo Xisto. Durante o bate-papo, Luísa explicou a escolha da banda para a competição que acontecerá em Barcelona, na Espanha, de 10 a 13 de Junho:

A gente fez um estudo do que a gente poderia representar lá fora, o que transmitiria essa energia, essa força, então a gente escolheu o Sepultura por conta disso, porque vocês no palco conseguem transmitir isso, e a gente quer transmitir isso dentro da piscina.

O guitarrista comentou a decisão das meninas e falou sobre a falta de reconhecimento do heavy metal como uma música que representa o Brasil.

É muito legal, porque o heavy metal geralmente não é considerado como uma música representativa do Brasil. Mas o Sepultura sempre foi assim, a gente sempre teve essa vontade e essa possibilidade de representar a música brasileira à nossa maneira.

Nado artístico ao som de Sepultura

As faixas escolhidas pelas nadadoras foram “Ambush” e “Attitude”, do disco Roots (1996) e “Desperate Cry”, de Arise (1991).

Segundo Maria Bruno, as músicas do Sepultura ajudam as atletas principalmente naquele momento em que elas estão um pouco mais cansadas e precisam “dessa explosão”, para finalizar “muito bem” a coreografia.

As garotas revelaram que caso conquistem a vaga nas Olimpíadas de Tóquio, elas irão manter as músicas escolhidas.

Ao final da conversa virtual, Andreas fez questão de convidar as atletas para assistirem a um show do Sepultura qualquer dia. Aceitando o convite, Maria Bruno brincou:

É só montar uma piscina, que a gente dá o nosso show junto com o show de vocês.

Vamos torcer para que brasileiras fiquem com uma das sete vagas do nado artístico e coloquem o som do Sepultura nas alturas em Tóquio!