Freddie Mercury nos EUA em 1977
Foto: Wikimedia Commons
 

No dia 24 de Novembro de 1991, uma das vozes mais importantes da história da música nos deixou quando Freddie Mercury faleceu aos 45 anos de idade.

Indo embora cedo demais, o líder do Queen não resistiu às complicações da AIDS, doença que até os dias de hoje não tem cura, mas que na época não contava com qualquer tipo de medicação para que fosse administrada.

Pois é claro que após o falecimento de Mercury as suas obras acabaram ganhando novo protagonismo, e o mundo vivia uma época onde clássicos da banda eram relembrados e celebrados à exaustão.

Queen, “We Are The Champions” e uma História Infeliz

Em Fevereiro de 1992, o filme Wayne’s World foi lançado nos Estados Unidos com uma cena épica envolvendo o clássico “Bohemian Rhapsody”.

Foi por causa dela, inclusive, que os Estados Unidos voltaram a prestar atenção na banda britânica, que curiosamente nunca foi extremamente popular no país.

Nesse ano, alunos da escola católica Sacred Heart, em Clifton, New Jersey, foram impactados pelo filme e pelas músicas de Freddie Mercury e escolheram “We Are The Champions” como a canção que tocaria durante a iminente cerimônia de formatura da oitava série no local.

Acontece que o diretor Donald Quinlan proibiu a execução da canção alegando que ela “não tinha nada a ver” com o ambiente de uma escola católica, e um pastor da instituição, o Monsenhor Julian Varettoni, afirmou:

Se eles quisessem tocar a música tema do Popeye, também não faria sentido. Isso não tem nada a ver com o estilo de vida do autor.

Essa declaração foi dada após várias pessoas alegarem que, na verdade, o diretor estava censurando a canção do Queen porque Freddie Mercury havia se relacionado com outros homens e morrido de AIDS, uma doença sexualmente transmissível.

Protestos

Os próprios estudantes não acreditaram no papo do diretor e convidaram o grupo ACT-UP (AIDS Coalition to Unleash Power) para fazer um protesto no colégio, sendo que dois ativistas chegaram a ser presos pela polícia e Quinlan foi retirado do local com uma escolta.

Outra forma de protesto se deu quando os alunos ligaram incessantemente para uma rádio local chamada Z100 e pediram para que ela tocasse a música inúmeras vezes, o que acabou chamando a atenção dos Estados Unidos e virou notícia.

A coisa deu tão certo que os responsáveis pela banda relançaram “We Are The Champions” como single no país em um medley com “We Will Rock You” e ele chegou até a aparecer na posição de número 52 nas paradas do país.

Ao final das contas, a cerimônia de formatura foi cancelada na cidade que fica a cerca de 16 quilômetros de Nova York. Uma pena.

 
Compartilhar