Slash com a Les Paul Victoria
Foto: Gibson
 

Concentração é uma parte fundamental da técnica de qualquer guitarrista, mas será que talvez Slash esteja exagerando um pouquinho?

Bom, não é essa a opinião de Micajah Ryan, engenheiro de som que trabalhou com o músico durante a gravação de Appetite for Destruction, disco de estreia do Guns N’ Roses lançado em 1987.

Ele falou recentemente em uma entrevista sobre as “manias” de Slash e descreveu uma que pode ser considerada um pouco bizarra, mas que na sua opinião é muito mais um elogio do que qualquer outra coisa (via Guitar World):

Ele tinha uma mania, eu não sei se você já percebeu. Ele se concentra tanto quando está fazendo os solos que seu lábio inferior fica protuberante. E ele baba, e eventualmente isso se transforma em longas linhas de saliva que vão até o chão.

E aconteceu no estúdio. Ele está tão focado quando toca, ele nem percebe que está babando — ou não liga. Eu nunca percebi qual dos dois era, se ele não percebia ou não ligava.

Ryan também falou mais sobre sua admiração sobre a ética do guitarrista, que encara a música verdadeiramente como um trabalho e não como diversão:

Outra coisa que eu quero contar é que, quando dizem que o Slash vai ao estúdio para tocar suas músicas, o Slash não toca, ele trabalha. Ele trabalha demais, demais mesmo, e para mim, essa coisa de, ‘Ah, eles vão ali tocar e tudo mais.’ É muito mais difícil do que tocar, não tem nada fútil sobre isso, de jeito nenhum.

Um pouco anti-higiênico? Talvez. Admirável? Com certeza! Você pode conferir o papo com Micajah na íntegra pelo player abaixo ou clicando aqui.

Engenheiro de som do Guns N’ Roses relembra Slash

 
Compartilhar