Quincy Jones afirma que Elvis Presley
Fotos via Wikimedia Commons
 

Quincy Jones está de volta com seus comentários polêmicos sobre grandes estrelas da música.

Em uma nova entrevista ao The Hollywood Reporter (via CoS), o lendário produtor musical explicou o motivo por não ter trabalhado com Elvis Presley.

Enquanto comentava sobre a dedicação de Michael Jackson durante as gravações do filme The Wiz, Jones apontou que o músico “sabia fazer o dever de casa” e estudava artistas como Fred Astaire, Gene Kelly e James Brown.

Além disso, o produtor afirmou que Michael, o “Rei do Pop”, estava “fazendo cópias de Elvis”. E após comparar os dois falecidos artistas, Quincy foi questionado se já teria trabalhado com Elvis. Ele negou e disse:

Não. Eu não trabalharia com ele. Eu estava escrevendo para Tommy Dorsey [líder da orquestra], oh Deus, naquela época nos anos 50. E Elvis entrou e Tommy disse: ‘Não quero tocar com ele’. Ele era um racista filho da… vou calar a boca agora.

O produtor continuou com suas lembranças acerca de Elvis, afirmando que:

Toda vez que eu via Elvis, ele estava sendo treinado pelo [compositor] Otis Blackwell, dizendo-lhe como cantar.

É importante destacar que Blackwell disse a David Letterman em 1987 que ele e Presley nunca chegaram a se conhecer.

Quincy Jones e Declarações Polêmicas

Em 2018, o músico e produtor causou ao dizer que os Beatles eram a “pior [banda] do mundo” e em seguida, destacou que para ele Paul McCartney era “o pior baixista” que já tinha ouvido.

Quando questionado sobre a declaração de Quincy, Paul revelou que o produtor teria ligado para ele se desculpando pelo episódio e afirmando que amava os Beatles.

Jones também acusou Michael Jackson de ter “roubado” diversas partes de músicas de outros artistas para incluir em suas canções. E vale lembrar que Quincy trabalhou com o Rei do Pop no lendário Thriller, de 1982.

Na recente entrevista, além de comentar sobre Elvis, o produtor declarou que sofreu preconceito do escritor Truman Capote enquanto produzia a trilha sonora do filme A Sangue Frio, que foi indicada ao Oscar em 1968.

Quincy ainda lembrou do que aprendeu ao conviver com Charlie Parker e Billie Holiday e falou sobre a mudança do seu corpo aos 88 anos de idade após ter feito algumas viagens ao Brasil.

Perdi 29 quilos. Eu estava passando muito tempo no Brasil colocando suco de açaí na vodca 24 horas por dia, 7 dias por semana. Mas parei de beber e passei de 110 quilos para 78 quilos. Claro. Eu peguei um pouco pesado aqui. É melhor eu ter cuidado. Estou com 85 quilos agora. Eu não gosto disso.

Você pode conferir a entrevista completa aqui.