Marilyn Manson
Foto via Wikimedia Commons
 

A situação de Marilyn Manson não para de se complicar.

Após as inúmeras denúncias de abuso e situações horríveis pelas quais o músico fez algumas mulheres passarem, a Metal Hammer divulgou uma reportagem focada nas mulheres que não deixaram os casos de Manson passarem batidos.

Como conta o Metal Insider, isso inclui algumas fãs que sofreram tentativas de silenciamento por parte do próprio Marilyn e até de sua atual esposa, Lindsay Usich, além de outros fãs que se recusavam a acreditar no comportamento terrível do cantor.

A matéria em questão se refere a três ex-fãs do trabalho de Manson — cujos nomes Alex, Ellie e Laura foram fabricados para proteção de identidades — e explica o abuso sofrido por elas através da internet usando o caso de Laura como exemplo:

Lindsay falando muito sobre endereços de IP e como ela sabia da minha localização e tudo mais, mas eu não acho que ela realmente soube em algum momento. Ela sempre tentava me assustar.

O caso assustou ainda mais Laura pois sua conta verdadeira estava bloqueada pelas contas oficiais de Manson e Usich, o que lhe fez acreditar que o casal realmente sabia que ela era a pessoa por trás da conta Mansonisabusive (“Manson é abusivo”) no Instagram.

Há também uma confirmação de que diversas das contas de “fãs” que mandavam mensagens terríveis para as mulheres em questão tinham endereços em Hollywood Hills, justamente onde o casal reside. O bairro é conhecido por ser um antro de celebridades, e é bastante improvável que tantos entusiastas de Manson morem por lá.

Justamente por isso, acredita-se que pelo menos algumas dessas contas teriam sido comandadas por Manson e Usich em uma tentativa de silenciar as mulheres que denunciavam o cantor. Horripilante.

Abusos de Marilyn Manson

Já são mais de 15 as mulheres que resolveram se pronunciar sobre o que sofreram com Manson depois que a atriz Evan Rachel Wood, que terminou seu noivado com Manson em 2010, foi a primeira a falar abertamente sobre seu relacionamento com o músico em 1º de Fevereiro de 2021.

Em sua publicação original no Instagram, Evan revelou que passou por uma “lavagem cerebral” e foi “manipulada para ser submissa”. Além disso, definiu Marilyn como um homem perigoso e declarou estar ao lado “das várias vítimas que não se silenciarão mais”.

Ela ainda compartilhou textos de outras mulheres como uma fotógrafa que trabalhou com Manson e relatou que ele aplica até mesmo “táticas de tortura” para controlar as pessoas. Outra ex-noiva do cantor, Rose McGowanendossou todas as falas de Wood, mas uma terceira (Dita Von Teesedisse que não sofreu nada do tipo.

Ele negou todas as acusações e citou que seus relacionamentos íntimos sempre foram “inteiramente consensuais”. A cantora Phoebe Bridgers, por outro lado, disse ter ido na casa de Marilyn quando era adolescente e alegou que o cantor falava sobre um “quarto do estupro” em sua residência.

Após a denúncia, a gravadora Loma Vista se manifestou e anunciou o encerramento do contrato com o artista para a promoção do seu disco atual e que também não pretende realizar projetos futuros com ele, e você pode ler o comunicado aqui.

Seu empresário de 25 anos também encerrou relações, e Marilyn ainda perdeu papéis em duas séries que participava. Agora, o músico enfrenta um processo de outra de suas vítimas, Esmé Bianco, que o acusa de estupro e tráfico humano.

 
Compartilhar