Kurt Cobain e Robin Zander
 

“Eu vou ser o primeiro a admitir que fomos a versão dos anos 90 do Cheap Trick“, afirmou Kurt Cobain no encarte do disco Incesticide, do Nirvana.

A fala de Kurt não é à toa, uma vez que a banda dona de hits como “Surrender” e “I Want You to Want Me” é constantemente citada como uma das maiores inspirações para as lendas do Grunge. Mais do que isso, aliás, a influência é notável até mesmo no Foo Fighters, projeto assumido por Dave Grohl após a morte de Cobain.

Em uma entrevista exclusiva recente com o TMDQA!, o vocalista Robin Zander falou sobre esse tema de maneira bem franca, reconhecendo o quanto seu trabalho foi importante para o Nirvana e outras bandas que, sonoramente, pouco têm a ver com o Cheap Trick — como o Pearl Jam, por exemplo:

Eu acho que a influência é meio que a atitude e a energia que a gente tem; o Pearl Jam e o Cheap Trick não soam nem um pouco parecidos, mas ao mesmo tempo, eu acho que eles podem curtir a nossa banda simplesmente por conta do sorriso que colocamos em seus rostos, eu acho.

Logo em seguida, Zander relembrou o dia em que recebeu uma carta bastante inusitada do vocalista e guitarrista do Nirvana:

E eu acho que isso é verdade para todas as bandas que você mencionou, e é algo que nos deixa felizes, mesmo. Eu aprecio de verdade, acho ótimo. O Nirvana… [risos] Antes deles contratarem o baterista lá no passado, eu recebi essa nota ou carta que no final está assinada com um desenho do Kurt Cobain, no qual ele se desenhou e assinou como Robin Zander. [risos] Foi bem engraçado.

Que loucura, hein? Vale lembrar que o Cheap Trick lançou há pouco o disco In Another World e você pode conferir nosso papo com Robin na íntegra por aqui.

LEIA TAMBÉM: Foo Fighters toca com Rick Nielsen, do Cheap Trick, em Chicago; assista

 
 
Compartilhar