Billie Joe Armstrong em 2013
   

Com uma discografia tão extensa como a do Green Day, não é de se estranhar que algumas obras ganhem mais destaque do que outras. Para Billie Joe Armstrong, existe um disco em específico que merecia muito mais atenção.

Em uma nova entrevista com a Vulture, Billie falou sobre qual ele acredita ser o disco mais “incompreendido” da banda — Warning, de 2000. Ele explicou por que acha isso:

Essas canções no ‘Warning’, eu realmente queria mostrá-las. Eu ouvi esse disco pela primeira vez em algum tempo [recentemente], e eu acho que ele foi [feito] em uma época onde havia um pop punk com P maiúsculo começando a acontecer muito cedo, no fim dos anos 90 e [início] dos 2000, que eu meio que queria me afastar e entrar em coisas que fossem mais raiz.

Eu estava ouvindo muito Tom Waits e The Pretenders, só o bom e velho Rock and Roll. Nós realmente estávamos tentando fazer algo que fosse mais acústico.

Tem um público… Eu acho que isso é uma questão sobre os discos e o tempo. Quando as pessoas revisitam as coisas, há fãs daquela era ou daquela época que têm esse disco como seu favorito em particular. Eles querem ser diferentes, sabe? Eu acho que o ‘Warning’ é o que eu olho agora que talvez, na época, tenha sido meio que incompreendido.

Billie Joe Armstrong e Warning

Vale lembrar que no ano passado o frontman chegou a revelar uma vontade de regravar o álbum em questão.

Segundo ele, o Pro Tools — ferramenta fundamental da indústria para gravações — tinha acabado de surgir e, olhando pra trás, Billie gostaria de fazer as coisas de um jeito mais orgânico, mais “ao vivo”.

Quem sabe um dia?!

 
 
Compartilhar