Paul McCartney
Foto: Divulgação
 

O pagamento de streaming certamente não é um fator decisivo na renda de Paul McCartney, mas isso não significa que o ex-Beatle não esteja preocupado com a desvalorização da música em seu formato digital.

Ao lado de outras grandes lendas como Jimmy PageRobert PlantNoel Gallagher, StingChris Martin e muito mais, Paul é um dos 156 nomes que assina uma petição feita ao premiê britânico Boris Johnson para tomar uma iniciativa na busca por melhorar o modelo econômico das plataformas como Spotify e Apple Music.

Como conta o The Guardian, a carta explica sua intenção logo de cara:

Por tempo demais, as plataformas de streaming, gravadoras e outras gigantes da internet exploram os artistas e criadores sem recompensá-los de maneira justa. Nós precisamos colocar o valor da música de volta onde ele deve estar — nas mãos dos que fazem música.

A principal intenção da proposta é a mudança de uma lei que está em vigor desde 1988. Lá no Reino Unido, os royalties pagos por músicas tocadas na rádio são distribuídos de uma forma chamada “remuneração equitativa” através de uma empresa de coleta de direitos autorais, e a ideia é que possam ser feitas alterações para que o mesmo aconteça via streaming.

Mesmo com o apoio dessas grandes figuras, ainda não há qualquer indicação de que essas conversas seguirão em frente e, nos EUA, as últimas decisões judiciais têm favorecido as empresas, que alegam pagar o máximo possível para continuar se mantendo em operação. Vamos aguardar!

LEIA TAMBÉM: Conversamos com a Deezer sobre transparência no pagamento do streaming

 
 
Compartilhar