Chris Martin, do Coldplay
Reprodução/YouTube
 

Chris Martin é uma verdadeira máquina de hits, como fica bem claro ao dar uma olhada no catálogo recheado do Coldplay.

Canções como “Yellow”, “The Scientist”, “Fix You”, “Viva La Vida” e “Paradise” são só alguns exemplos dos sucessos enormes que Chris e seus companheiros possuem, e é natural imaginar que tudo isso seja o fruto de anos e anos de trabalho.

Bom, não deixa de ser, mas no caso de “Clocks” dá pra dizer que a coisa foi um pouco mais fácil. Em uma entrevista com Howard Stern em 2011, Martin explicou como escreveu a marcante canção em apenas 15 minutos com uma “ajudinha” dos Beatles:

Nós fomos a Liverpool pelo mesmo motivo que todo mundo vai — pegar um pouquinho [da atmosfera] dos Beatles. […] Eu tinha esse [toca o riff do piano de ‘Clocks’] e eu mostrei essa coisa simples para o Jonny [Buckland], que toca guitarra; ele estava ali desde bem cedo, ele estava tocando a guitarra e ele montou os acordes que vão por baixo. E o resto saiu muito rápido.

Então é isso, né? Deu pra entender: faça um riff incrível e grudento, chame um guitarrista para fazer alguns acordes que combinem e escreva todo o resto da música sem pensar muito. Fácil!

Você pode ver a “explicação” de Chris Martin pelo vídeo abaixo, no qual ele ainda comenta que, apesar desses créditos aos Beatles, acha que Bob Marley é seu artista favorito e cita Stevie Wonder e os Rolling Stones como outros tão importantes quanto os Fab Four.

Chris Martin e a história de como o Coldplay escreveu “Clocks”

 
 
Compartilhar