Roger Waters
Reprodução/YouTub
 

Por algum motivo, o Pink Floyd é quase sempre associado ao uso de drogas (em especial as psicodélicas). Qual é esse motivo? Bom, talvez a sonoridade, mas para falar a verdade nem mesmo o próprio Roger Waters sabe.

Em uma entrevista de 2013, o membro fundador da banda conversou com o HuffPost e foi questionado sobre o tema. O entrevistador pergunta isso e, em sua ótima e sempre misteriosa resposta, Roger faz uma comparação com os temas do primeiro disco, The Piper at the Gates of Dawn, que acabou associado ao espaço sideral mesmo não tendo nada a ver com ele:

Eu não tenho ideia [de como surgiu a associação]. Não cabe a mim responder. Eu só… eu não sei. Sabe, como os fãs do Pink Floyd chegaram a formular a filosofia de que tudo tinha a ver com o espaço sideral e sei lá o que — o que aconteceu antes! Eu acho que tinha algo a ver com o fato de que uma música se chamava ‘Interstellar Overdrive’, sabe. E outra música se chamava ‘Astronomy Domine’, ambas do Syd [Barrett], ambas composições do Syd. E eu acho que eles pensaram que por conta dele fazer ‘Uhhhhh’ [risos], tipo assim, deve significar que é sobre orbes celestiais.

Não era sobre nada além de… até as músicas do Syd, lá atrás naqueles anos bem do começo, em 66 e 67, tinham muito mais a ver com a sua ligação à literatura inglesa e Hilaire Belloc e uma escola de escrita inglesa bem excêntrica. Era sobre experiências pessoais, não tinha nada a ver com ‘o firmamento’. [risos] Então, não sei explicar nada disso, peço perdão.

Convenceu? Você pode ver o registro dessa entrevista em vídeo logo abaixo.

Roger Waters “explica” como Pink Floyd acabou associado às drogas

 
Compartilhar