Bassnectar
Foto: Divulgação / Imprensa
   

O DJ de música eletrônica Bassnectar, de 43 anos de idade, está sendo processado por duas mulheres que o acusam de crimes sexuais.

Rachel Ramsbottom e Alexis Bowling, junto com suas equipes jurídicas, alegam que Lorin Ashton – nome de batismo do artista, abusou sexualmente das duas enquanto elas eram menores de idade, além de tê-las traficado.

De acordo com o Digital Music News, um comunicado disponibilizado nesta segunda-feira (5) informou que além de Bassnectar, as empresas Amorphous Music Inc., Bassnectar Touring Inc., Interactive Giving Fund, Red Light Management e C3 Presents LLC são réus no processo de uma série de supostos abusos causados pelo DJ.

O site ainda cita posse de pornografia infantil entre as acusações.

Além disso, o texto explica que o “processo visa responsabilizar Bassnectar e as empresas que o apoiam por anos de aliciamento, abuso e tráfico” e destaca a criação de uma conta do Instagram, realizada em Julho do ano passado, que reúne diversas acusações de má conduta sexual contra o artista.

À época, o DJ decidiu “dar um passo para trás na sua carreira” logo depois das alegações serem compartilhadas nas redes sociais. Em uma publicação em sua conta do Instagram ele disse que os rumores eram falsos mas apontou que “algumas” de suas ações anteriores causaram dor e ele lamentava “profundamente”.

Estou me afastando de minha carreira e de minha posição de poder e privilégio nesta comunidade porque quero assumir a responsabilidade.

Eu sinto intensa compaixão por qualquer pessoa que possa ter se ferido. Eu realmente espero que você me permita uma chance de trabalharmos juntos para ouvir.

Acusações contra Bassnectar

Segundo documentos legais obtidos pelo TMZ (via CoS), Ashton teria entrado em contato com as duas vítimas em 2012 através de mensagens diretas nas redes sociais deixando claro que estava em busca de relações sexuais.

O processo alega que o músico teria pedido que elas assistissem ao filme American Beauty – em que um homem de meia-idade se relaciona sexualmente com uma colega de escola de sua filha.

Ainda de acordo com os documentos, Bassnectar sabia que as vítimas eram menores de idade e mesmo assim pagou ambas por sexo, que ele “determinou” que fosse realizado sem preservativos. Uma das mulheres informou que ele pediu para que ela enviasse fotos “sexualmente explícitas de si mesmo enquanto estivesse nua” quando ela ainda era menor de idade.

O TMZ descreve que as mulheres estão processando o DJ e as empresas por danos, sofrimento emocional passado e futuro e por despesas médicas. Sobre o caso, o advogado Brian Kent disse em um comunicado (via DMN):

Temos visto um verdadeiro acerto de contas nos últimos anos de indivíduos e instituições poderosas finalmente sendo responsabilizadas por anos de abuso sexual contra adultos e menores.

Mas apenas começamos a arranhar a superfície de como essas figuras e entidades influentes podem continuar por anos cometendo abusos sem serem responsabilizados. Este processo visa buscar justiça não apenas contra Bassnectar, mas também contra as corporações que cooperam e ajudam a facilitar os abusos que ele supostamente cometeu.

Até o momento o próprio Bassnectar não se pronunciou sobre o assunto. Entretanto, seu advogado Mitchell Schuster negou as acusações em um comunicado:

Essas alegações ultrajantes – que foram claramente elaboradas para a mídia, e não para os tribunais – são completamente sem mérito e esperamos ansiosamente provar isso.

   
 
Compartilhar