Hayley Williams Death Metal
Foto: Twitter @yelyahwilliams

Nick Barker, lendário baterista de Heavy Metal com passagens por bandas marcantes como Brujeria, TestamentCradle of Filth Dimmu Borgir, tem opiniões fortes sobre o estado do gênero no momento.

Falando ao Overdrive (via Metal Injection), Barker comentou que acredita que o Heavy Metal perdeu sua alma e fez uma viagem no tempo em sua resposta:

Eu acho que [o Heavy Metal] se tornou um pouco saturado, em especial o Death Metal. Há um elemento no qual tudo está começando a soar igual. Trinta anos atrás, era tudo sobre os riffs, e agora, trinta anos depois, é tudo sobre quão rápido é o BPM da faixa. Não é sobre os riffs mais, é sobre a máquina de escrever.

É uma verdadeira pena que o Death Metal tenha ido por este caminho. Eu sou antiquado em pensar que o melhor Death Metal era ‘Altars of Madness’, ‘Slowly We Rot’… Possessed, Death, etc.. Essas bandas focavam mais nos riffs do que no que virou agora. Há muito pouco mérito artístico nos dias atuais. Está praticamente sem alma. Digo… é só Death Metal.

É uma coisa de gerações também. As pessoas não querem mais pagar pela música; elas esperam que seja de graça. Perdeu um pouco de sua credibilidade, e os artistas que estão criando essas músicas não estão recebendo o respeito que merecem. Mais ainda, o período de atenção nos dias atuais é muito menor. Para ser sincero, eu não sigo [o Metal] mais e estou bem desligado.

As boas bandas sempre vão resistir; as outras vão apenas ser esquecidas.

E aí, concorda com a fala do baterista? Por aqui, achamos que a música pesada vai muito bem e fizemos até uma lista há algum tempo para provar isso aos nossos leitores, separando 12 bandas que são a nova (e ótima) cara da música pesada. É só conferir clicando aqui.

 
Compartilhar