Brian
Foto via Wikimedia Commons

Há algum tempo, falamos por aqui sobre um desabafo de Brian “Head” Welch, guitarrista do KoRn, sobre a sua relação com a religião quando se converteu ao cristianismo.

Ele comentou que acreditava que essa parte de sua vida se tornou uma “obsessão”, quase que substituindo os seus antigos vícios em substâncias. A declaração não pegou bem com algumas pessoas — inclusive e talvez principalmente com alguns cristãos — e o cara teve que se explicar em uma nova entrevista, dessa vez com o podcast TruthSeekah (via Blabbermouth).

Ele foi questionado sobre o quanto era difícil falar sobre esses temas quando sabia que tudo poderia gerar alguma polêmica, e respondeu:

Pelos primeiros dois ou três anos, [depois] que eu me tornei um seguidor de Cristo, eu fiquei, tipo, ‘Ah meu pai. Por favor não estrague tudo.’ E aí eu cheguei em um ponto onde é só, tipo, ‘Cara, ame a Deus, ame as pessoas, e só compartilhe seu coração.’ E eu não me preocupo de jeito nenhum ou fico nervoso de jeito nenhum — eu só converso e tenho um bom papo.

Agora, vou ser sincero, depois que essa coisinha aconteceu no podcast do Robb Flynn [onde aconteceu a entrevista que gerou a polêmica], eu provavelmente vou pensar sobre isso e ficar, tipo, ‘Beleza. Me ajude, Senhor, a articular melhor.’ Eu não estou tentando ser atacado, eu não estou tentando gerar tudo isso. E eu quero deixar claro… porque eu não sei o que esses sites de Rock [que fizeram matérias sobre sua fala] estavam pensando, que eles estavam pensando que eu estava me afastando da minha fé. Isso não é nem um pouco verdade. Eu só fui longe demais com o fanatismo e essas coisas todas, e foi só o que eu quis dizer. No fim do dia, está tudo bem. Se há drama, e as pessoas acham que eu disse algo errado, bom, estejam elas comigo ou contra mim — Paulo disse algo assim — de qualquer forma, Cristo está sendo pregado. E isso é da hora demais.

Brian “Head” Welch explica declarações sobre religião

Em outro trecho dessa conversa, Welch explica justamente como as críticas que recebeu de sua própria comunidade religiosa foram as piores. Pedindo “misericórdia”, Brian aponta para o espírito julgador de uma pessoa em específico e desabafa:

Teve um cara que disse… eu vi um vídeo que um amigo me mandou. E ele falou, tipo, ‘Recebendo muitas mensagens sobre isso.’ E [o vídeo] era [chamado], ‘Brian Welch sai do cristianismo’, ou algo assim. Recebeu milhares de visualizações. O vídeo que eu vi, o cara fala, ‘Eu vou ser honesto e dizer que Brian Welch nunca foi um cristão.’ Eu só, tipo, ‘Cara.’ […] Eu estou pensando sobre esse cara, e eu fico tipo, ‘Você realmente tem os culhões pra dizer isso? Isso é se colocar no nível de Deus.’ E então eu fico meio com medo por esse cara. Ele está tão distante. Cara… Isso é mexer com as coisas, cara, que você não deveria mexer. Essa é a coisa número um que Jesus foi atrás com os fariseus no Evangelho. Ele estava tão irado e tão contra esse espírito — espírito julgador — e isso e aquilo, e Jesus está com as prostitutas, dizendo ‘Venham todos que estejam quebrados.’ E esse cara está dizendo isso? Uau. Essa vai ser uma conversa interessante. Honestamente, eu vi isso, e eu só disse, ‘Senhor, tenha misericórdia com esse cara. Ele não sabe o que está fazendo. Tenha misericórdia com ele. E onde eu estiver errado, me conserta também.’ Eu só estou tentando ter a abordagem humilde. Mas é assim que eu me sinto. E isso foi um pouco triste, mas não é nada de mais.

Você pode conferir esse papo na íntegra pelo vídeo abaixo.

 
Compartilhar