Festival AFROMUSIC realiza edição inteiramente digital e gratuita
Foto: Sérgio Fernandes / Divulgação

Em seu segundo ano, o Festival AFROMUSIC reafirma sua característica de trazer shows de artistas e bandas pretas que estão alavancando a nova cena independente.

Totalmente gravado no Teatro de Contêiner, no centro de São Paulo, as atrações vão ao ar nos dias 09, 10 e 11 de abril, sempre a partir das 19h, no canal do YouTube Universo Afromusic.

Além das apresentações artísticas, o evento também tem como destaque uma série de entrevistas que irão refletir sobre temas ligados à música e sociedade.

Jup do Bairro, Gê de Lima, Izzy Gordon, Renato Gama, Biel Lima e Fabriccio são alguns dos convidados que completam o line up do festival. A programação completa pode ser visualizada ao fim desta publicação.

Emparelhado aos shows, compõem a programação 10 pílulas de conteúdo sobre a construção do DNA musical afro-brasileiro. Nomes como o do multiartista Salloma Salomão, da pesquisadora Danielle Almeida, dos cantores e compositores Marina Afares e Aloysio Letra estão confirmados. A Deputada Erica Malunguinho abre o Festival discorrendo sobre o tema que orientou a construção desta edição: “Música tem Cor”.

Jup do Bairro

Quem falou com o TMDQA! a respeito do evento foi a incrível Jup do Bairro, que reforçou a sua importância:

Eu tenho feito muita live em casa, mas todas sozinha. Eu sendo minha DJ, minha técnica de luz, de som… e é um lugar muito solitário, introspectivo. Sem dúvidas essa performance que eu fiz para o Festival AFROMUSIC #2 foi uma das mais emocionantes. O teatro é lindo, a estrutura estava impecável. É mágico estar no palco novamente e sentir a música contagiando e emocionando as, mesmo que poucas, pessoas do set.

Além disso, Jup ainda protestou e falou sobre a situação dos músicos em 2021:

Eu me recuso de chamar esse cenário de ‘novo normal’ principalmente quando identificamos que a maior contribuição para estarmos pessimistas é a negligência do Presidente. Desde 2019 uma guerra cultural foi instaurada onde a arte foi o principal sacrifício, desde então artistas e fazedoras de cultura tem usado a internet como a principal ferramenta aliada para exercermos nossos ofícios e nos aproximarmos do nosso público. Mas nem tudo são emojis de coração principalmente pela precariedade de artistas e produtoras independentes sem ajuda de um patrocínio digno ou estruturas para um bom espetáculo, que está cada vez mais escassa se você não é um sertanejo.

PROGRAMAÇÃO

09 de abril, sexta-feira. A partir das 19h00.
19h
Pílulas de entrevista: “Música Tem Cor”, com Erica Malunguinho
Show: Izzy Gordon

20h
Pílulas de entrevista: “Música Preta Experimental”, com Felinto
Show: Biel Lima

21h
Show: Jup do Bairro

Pílulas de entrevista: “Pretas Mulheres na Composição”, com Marina Afares

10 de abril, sábado. A partir das 19h00.
19h
Pílulas de entrevista: “Música Afrofuturista”, com Melifona
Show: Fabriccio

20h

Pílulas de entrevista: “América Diaspo-Sonora”, com Danielle Almeida
Show: Renato Gama

21h
Entrevista: “O Rap é mais que compromisso”, com Daniela Vieira
Show: Mental Abstrato feat. Mana Bella

22h

Show: Bloco Afro Afirmativo Ilu Inã apresenta “MacumBrass”
Entrevista: “Carnaval e organização social preta”, com Fernando Alabê

11 de abril, domingo. A partir das 19h00.
19h00

Entrevista: “Tudo é samba”, com Amailton Azevedo

Show: Ballet Afro Koteban

20h00

Entrevista: “Canto ancestral”, com Aloysio Letra

Show: Gê de Lima

21h00

Show: Banda Nova Malandragem convida Walmir Gil

Entrevista: “Sons de Kemet”, com Salloma Salomão