Público de festival
   

Um aplicativo chamado Excelsior Pass está sendo desenvolvido nos Estados Unidos para determinar quando a cidade de Nova York, diante da pandemia, vai estar apta a realizar apresentações musicais novamente graças à vacinação contra a COVID-19.

Além de informações sobre o número de pessoas imunizadas contra a doença, o app mostrará resultados de testes contra o vírus. Sendo assim, a tecnologia acusa se a pessoa já foi vacinada ou se testou negativo recentemente (até 72 horas para testes PCR e 6 horas para testes de antígeno).

É como se fosse um passaporte que libera acesso a locais somente para quem recebeu a vacina contra a COVID, e isso pode ser fundamental para a retomada da indústria de shows no país norte-americano.

Coleta de dados

Será preciso inserir nome, data de nascimento e endereço, e responder perguntas para confirmar a identidade do usuário.

Com base na coleta de informações, o perfil recebe dados do registro de vacinas. O aplicativo exibe um QR Code com dados de moradores de Nova York e também é possível apresentar o código na versão impressa.

Os locais que receberão as pessoas têm outro aplicativo para escanear o QR Code e verificar se ela foi vacinada contra a COVID-19. Para isso, eles usarão o Digital Health Pass, solução da IBM baseada em blockchain que auxilia no retorno da população a lugares com grande circulação.

Governador de Nova York se pronuncia

Falando sobre essa novidade e a importância para a retomada de atividades, o governador  Andrew Cuomo explicou (via Loudwire):

Os nova-iorquinos tem provado que podem seguir protocolos de saúde pública para derrotar a COVID, e o inovador Excelsior Pass é a nossa mais nova ferramenta para lutar contra o vírus enquanto permitimos que mais setores da economia reabram de forma segura.

Segundo fontes do governo, os usuários têm a garantia de que informações pessoais não serão acessadas pela empresa, nem por estabelecimentos que vão analisar os códigos.

O aplicativo será disponibilizado de forma gratuita, mas ainda passa por fases de experimentação. Será que a moda pega?

   
 
Compartilhar