joao-gordo-e-asteroides-trio
Reprodução/YouTube

Nos últimos dias, João Gordo tem sido mais vocal do que nunca sobre a situação política do Brasil.

O vocalista do Ratos de Porão sempre falou sem papas na língua sobre questões complicadas, mas como te contamos por aqui, recentemente fez críticas duras inclusive à esquerda brasileira que, segundo ele, é “tosca, cirandeira, bunda-mole pra caralho” — algo que faz com que a direita e os apoiadores de Jair Bolsonaro consigam se aproveitar, segundo o cantor.

Na mesma linha de seu comentário anterior, Gordo falou em outra entrevista sobre como a culpa, na sua opinião, também recai sobre aqueles que apoiam o atual presidente.

Questionado sobre como lidar com as pessoas da cena do Rock/Punk que seguem do lado do atual mandatário, Gordo disse que “não tem relação com fascista”, já que “fascista não entende papo, só paulada” e os acusou de serem “cúmplices de genocídio”:

Não tem relação, véio. Não tem relação com fascista, véio. Fascista não entende papo, não entende porra nenhuma, só entende porrada, paulada, saca. […] O cara apoia o Bolsonaro, sabe tudo de errado de filhadaputagem que isso representa… se o cara tá nessa, o cara é um mau caráter. Às vezes o cara nem sabe o que é fascismo, tá ligado? O cara é um mau caráter.

Quem está apoiando o Bolsonaro nesse momento tem as mãos sujas de sangue das 300 mil pessoas que morreram, o cara é cúmplice de genocídio, tá? Então se você está me escutando agora aí, seu filho da puta, e você apoia esse desgraçado desse nazi do caralho, você também é um filho da puta, véio. Você também é um desgraçado. Você é um mau caráter, mano, sabe? Tá aberto, o mundo inteiro tá vendo isso aí, cara. Não sou eu que sou louco. ‘Ah, o cara é comunista, o Gordo, olha lá’. ‘Petista, vai pra Cuba’. Vai tomar no seu cu, seu filho da puta! Abre essa cabeça sua, cara. Não é questão de esquerda e direita mais, é uma questão de caos, de hecatombe genocida, que é a música lá.

Você pode ver a declaração do músico pelo vídeo abaixo e, neste link, pode ouvir a canção “Hecatombe Genocida” do supergrupo Revolta, que conta com Iggor Cavalera e outros grandes nomes do Metal brasileiro.

João Gordo falando sobre apoiadores de Bolsonaro

 
Compartilhar