joana_marte
Foto por Isabella Dias
 

A banda paraense de rock alternativo Joana Marte vem realizando uma série de lançamentos que irão anteceder o seu segundo álbum de estúdio. Recentemente, o grupo divulgou a faixa “Solidão a Dois”, que já chegou acompanhada por um videoclipe.

Composta pelo baterista Bruno Azevedo, a música é uma queixa sobre o esforço unilateral em uma relação, sobre estar com alguém e, ainda assim, estar sozinho. Exceto pela bateria, a faixa foi gravada e produzida inteiramente à distância, durante a quarentena.

Com a formação clássica da banda de guitarra, baixo e bateria, a canção caminha pela sonoridade do samba e do indie rock, e dá destaque aos arranjos de metais e synthbass. Para isso, o grupo contou com a participação de um trio de metais do Rio de Janeiro, com arranjos escritos por Bruno Azevedo e direção do trompetista Diogo Gomes (Gilberto Gil, Gal Costa, Adriana Calcanhotto).

O clipe que acompanha o single foi feito com apenas uma câmera, registrando em plano sequência a performance da música num clima intimista na sala de casa. O filme tem direção assinada por Renan Chady e produção da própria banda.

Além de Bruno (bateria), a Joana Marte conta ainda com Rubens Guilhon (voz e guitarra) e Leo Chaves (baixo). “Solidão a Dois” é o quarto single da série de lançamentos que desaguarão no novo disco do trio, previsto para chegar ao mundo ainda em 2021.

Caio Nunez

caio_nunez_tassia_reis
Foto por Danielly Oliveira

O cantor e compositor carioca Caio Nunez uniu a sua descontração com a determinação da rapper paulista Tássia Reis em seu novo single, “Só Que Não“. A faixa, que já se encontra em todas as plataformas de streaming, marca a primeira parceria entre os artistas.

A canção é o feat. perfeito, aquela MPB descontraída e cheia de frescor, embalada por um climinha nostálgico de carnaval. “Só Que Não” fala sobre um relacionamento amoroso que está abalado, listando diversos elementos de uma narrativa pessoal. Segundo Caio, a letra retrata, palavra por palavra, algo que rolou com ele.

Eu sou fofoqueiro, escrevo sobre a vida dos outros, gosto de me inspirar em casais de amigos, mas dessa vez me abri mais e parti pra esse lance autobiográfico mesmo. Tudo que está ali, descrito em cada um dos versos, eu vivi.

Os cantores foram apresentados por amigos em comum e fizeram toda a produção do single remotamente. Ambos compartilham as mesmas referências e ambições de reformular o neo-soul com uma abordagem mais tropical, apostando em elementos da MPB junto ao rap e à rua.

De um lado, Caio Nunez assume ser um grande fã de Tássia Reis e não poupa palavras para dizer que essa estreia é a realização de um sonho, creditando-a como sua primeira referência de rap brasileiro. De outro, Tássia ressalta o quanto Caio é um artista incrível e talentoso:

Penso que o som traz uma atmosfera leve e que, apesar de abordar um relacionamento, faz isso de uma maneira tranquila e divertida. Amei colaborar nesse projeto.

Produzido por Theo Zagrae e DJ LN, o single recebeu um videoclipe com um mood vibrante e carinhoso. A direção ficou a cargo de Edvaldu Neto. A distribuição de “Só Que Não” é da Warner Music Brasil em parceria com a CRIVO, empresa de gestão de carreiras.

A seguir, você pode curtir a parceria de Caio Nunez e Tássia Reis.

Ramiro Pinheiro

ramiro_pinheiro
Foto por Flavio Coddou

O violonista brasileiro Ramiro Pinheiro é uma músico rebuscado e criativo, além de um talentoso compositor. Atualmente, está preparando o lançamento de seu álbum de estreia no universo da música autoral, intitulado Sentido.

Entre os singles escolhidos para apresentar o disco, está “Tutu”, composição original do artista. Com a flauta de Pablo Giménez e o violão de Ramiro, a música expressa uma melodia cativante e foi divulgada em duas versões: uma em dueto e outra em quarteto.

Na versão completa, Ramiro Pinheiro conta ainda com o contrabaixista Horacio Fumero e o baterista Nicolas Correa. Esse trio forma a base central do álbum, embora haja convidados em todas as músicas. O violonista compôs e coescreveu, com diversos letristas, sete dos nove temas de Sentido.

Autodidata, Ramiro aprendeu a tocar o instrumento de ouvido, antes de cursar o Conservatório Souza Lima em São Paulo. Mudou-se para Barcelona, na Espanha, há 14 anos e, desde então, tem sido personagem importante da cena musical da capital catalã, trabalhando com diversos músicos de jazz e de música brasileira.

Com lançamento aguardado para Maio de 2021, o disco Sentido é uma pedida certa para qualquer ouvinte que aprecie o jazz brasileiro. Ricas melodias, variedade e musicalidade de alto nível, somados a uma substancial criatividade. Enquanto o álbum não chega, você pode conferir as duas versões de “Tutu” nos players abaixo.