Pete Loeffler (Chevelle)
Foto via Wikimedia Commons
   

Grande nome do Nu Metal, o Chevelle é uma daquelas bandas que sobreviveu à “bolha” daquele início dos anos 2000 e segue em plena atividade, chegando a quase 20 anos de carreira e lançando há pouco o disco NIRATIAS.

O nono álbum de estúdio dos caras estreou no 9º lugar da Billboard 200, uma das melhores posições que o Rock teve nos últimos anos. Mas, ainda assim, se engana quem pensa que a banda está vivendo bem graças às vendas de discos.

Em uma nova entrevista à rádio WEBN (via Blabbermouth), o vocalista e guitarrista Pete Loeffler deixou bem claro que, mesmo com uma marca de 6 milhões de discos vendidos, a banda “nunca ganhou nenhum dinheiro” com isso e ainda citou o exemplo de Dave Chappelle, que renegociou seu acordo do passado anos depois:

Contratos são uma merda, e nós assinamos alguns bem crus. E nós precisamos começar a tentar ganhar algum dinheiro com o nosso catálogo, que já tem 10 álbuns [contando ao vivo], além das coisas paralelas. Nós nunca ganhamos nada com vendas de discos, vendas de álbuns. Tudo vai para as grandes gravadoras. Muita gente ganha dinheiro com a gente; a gente simplesmente não ganha nada no formato que os acordos são estruturados.  Nós simplesmente não temos nenhuma empolgação para voltar a qualquer tipo de contrato. Então se nós encontrarmos uma nova casa em uma nova gravadora, onde quer que seja, tem que ser um acordo especial no qual você ganha algo pelo seu trabalho duro.

Seria legal fazer algo diferente e de fato ganhar uma grana através de um disco pela primeira vez; isso simplesmente nunca aconteceu para nós. Nós já vendemos seis milhões de álbuns para a Epic Records, e eles ganharam US$50 milhões. É unilateral.

E o artista — como o Dave Chappelle disse, ele sabe que assinou um cardo para o ‘Chappelle’s Show’ anos atrás, e é um acordo cru. Foi para outra pessoa, e eles podem colocar em qualquer plataforma que queiram, seja a Netflix ou HBO ou qualquer outra coisa, e ele foi falar com eles e disse, ‘Olha, eu sei que eu fiz isso, mas é errado — ainda é errado. Você precisa compensar o artista’ E é meio que aí que estamos, também. É um modelo de negócios ruim para o artista.

Felizmente para a banda, NIRATIAS é o último disco desse contrato e agora os caras devem procurar uma nova casa. Loeffler deixou claro que “há boas pessoas na Epic” e eles gostariam de continuar por lá desde que eles cedessem pelo menos um pouco — o que não parece ser o caso.

Certamente um choque de realidade com relação à indústria da música. Você pode ver a entrevista na íntegra abaixo, bem como ouvir o novo disco NIRATIAS.

   
 
Compartilhar