Cardi B no Grammy 2021
Reprodução/YouTube
 

Dona de “WAP”, grande hit de 2020, Cardi B voltou a gerar polêmica ao apresentá-lo junto a Megan Thee Stallion durante o Grammy 2021.

A performance contou também com trechos do novo single “Up” e irritou os conservadores dos EUA, que fizeram diversos comentários sobre o teor sexual da apresentação, gerando até pauta para discussão no canal notavelmente conservador Fox News.

A cantora imediatamente comemorou a notoriedade em um Tweet:

Falar a verdade eu só vou agradecer a [Candace Owens]. Ela colocou minha performance na Fox News dando a ela mais visualizações que impulsionaram as visualizações no YouTube e está contando para os meus streams e vendas. OUÇAM UP E WAP.

Ainda na mesma publicação, ela deixou bem claro que se isenta da culpa pelo conteúdo de suas canções. Segundo Cardi, os pais é que deveriam ser responsáveis pelo que seus filhos assistem:

LEMBREM-SE PAIS CRESCIDOS SÓ VOCÊS PODEM MONITORAR O QUE SEUS FILHOS ASSISTEM, NINGUÉM MAIS.

Em seguida, ela fez uma comparação entre ela e Melania Trump, ex-primeira dama dos EUA que fez ensaios nus em seu passado, e pediu para que Candace continuasse “falando mais” da música:

Eu não sei por que a [Candace] está tão incomodada com WAP. Eu só me inspirei na nossa ex-primeira dama. De toda forma parabéns pelo seu novo programa eu espero que você fale mais sobre WAP, eu preciso que ela alcance um novo público para chegar a 6x platina. Qualquer exposição ajuda. Te amo Candy

A discussão entre as duas seguiu por muitas outras publicações, mas você pode ver as citadas acima ao final da matéria.

Cardi B e Rick Bonadio

Vale lembrar que, aqui no Brasil, Cardi também acabou gerando polêmica por ter usado um trecho de um remix Funk de “WAP” do DJ brasileiro Pedro Sampaio durante a performance.

A comemoração dos fãs brasileiros por isso deixou o produtor Rick Bonadio “com vergonha” e, por mais que ela não tenha se pronunciado sobre isso, figuras da música brasileira o fizeram — inclusive a própria Anitta, que Cardi B creditou como responsável por apresentá-la ao Funk.

O músico Lucas Silveira (Fresno) também aproveitou a ocasião para relembrar uma declaração genial do saudoso produtor Carlos Eduardo Miranda sobre como “o Rock no Brasil hoje é o Funk”.

LEIA TAMBÉM: Após críticas de Rick Bonadio, Mamonas Assassinas vira Funk em remix de Pedro Sampaio

 
 
Compartilhar