Tupac Shakur em entrevista de 1994
Reprodução/YouTube
 

Musicalmente, não há nenhuma questão de que Tupac Shakur foi extremamente à frente de seu tempo.

Revolucionário no Rap, o cara deixou sua marca também fora dele com um impacto cultural que poucas vezes surgiu dentro da indústria. O sucesso estrondoso foi apenas a consequência de um rapaz que cantava sobre a realidade que constantemente vivia nas periferias, mas é claro que isso também fez com que ele gerasse muita polêmica.

A imagem de gângster ficou eternamente associada a Tupac e, em uma entrevista com Ed Gordon em 1994, o cara explicou como nada do que ele falava em suas músicas tinha intenções ruins e, na verdade, era uma tentativa de fazer com que outras pessoas não cometessem os mesmos erros que ele:

Se alguém tivesse me pegado e me puxado pro lado e falado, ‘Olha, Tupac, assim que você pisar fora daqui eles vão pra cima de você.’ Se alguém tivesse explicado pra mim, eu não teria cometido os mesmos erros, e agora é o meu trabalho impedir que outra pessoa cometa os mesmo erros, desenhar um mapa verdadeiro do mundo e como ele é.

Tudo que eu estou dizendo é um aviso, é um pedido de ajuda. Se todo mundo está tão preocupado assim comigo, por que ninguém veio me ajudar? Sabe? Eu nunca quis ser uma estrela, esse não é o meu trabalho. Eu não ligo se ninguém torce por mim, tá ligado? Se você não está torcendo por mim pelo que eu estou fazendo, não torça por mim; não torça porque você acha que eu sou bonitinho, sabe, foda-se isso. Torça por mim pelo que eu estou fazendo, pelo que eu represento.

E quando eu vou preso, você deveria torcer mais alto ainda, sabe? Porque eu estou representando o que eu faço, eu não estou roubando ninguém, eu nunca peguei nada [de ninguém]. Tudo que eu faço, eu faço para representar o meu povo, eu faço porque é o que eu acho que eles querem que eu faça.

Em seguida, Tupac ainda desabafou sobre como enxergava uma perseguição contra ele depois da fama e explicou como foi vítima da brutalidade policial enquanto a mídia pintava a sua imagem de criminoso:

Isso é tudo que eu quero dizer: para todos aqueles que duvidam de mim, eu nunca tive ficha. Nenhuma ficha. Nenhuma ficha criminal… até eu fazer um disco. Conforme o meu clipe estava estreando na MTV, eu estava preso tomando uma surra do departamento policial. Eu tinha um processo de 10 milhões de dólares, eles disseram que iam fazer acordo e tudo mais.

Mas ninguém liga pra isso. Isso não virou manchete em todo lugar. Eles não me viram, eles não me viram na TV com meu olho estourado, minha cabeça estourada. Tem fotos disso! Você não vê essas fotos, você vê fotos do Tupac saindo da cadeia, algemado; você não vê fotos da polícia em cima de mim, enfiando a porrada em mim. Você não vê isso, mas eu vejo isso. Isso é o que eu vejo, sacou? É tudo real.

Você pode conferir essa entrevista na íntegra pelo vídeo abaixo, com os trechos em questão começando por volta dos 5 minutos.

Entrevista de Tupac Shakur sobre brutalidade policial

 
 
Compartilhar