Bill Ward, do Black Sabbath, em 2000
Foto de Bill Ward via Shutterstock
 

Em 2011 a lendária banda de Heavy Metal Black Sabbath anunciou que estava retornando ao mundo de uma forma bastante especial, já que contaria com sua formação original.

Tony Iommi, Geezer Butler, Ozzy Osbourne e Bill Ward deram entrevistas falando sobre o retorno, shows e até a possibilidade de novas músicas.

No meio do caminho, porém, o último não acabou embarcando nos compromissos do quarteto e foi substituído, em um primeiro momento, pelo baterista Tommy Clufetos.

Em 2012, o grupo começou a gravar um novo disco de estúdio, 13, e o álbum lançado no ano seguinte não teria, novamente, a presença de Ward, já que quem assumiu as baquetas foi Brad Wilk, conhecido pelo seu trabalho em bandas como Audioslave e Rage Against The Machine.

Bill Ward no Black Sabbath

O problema é que a “saída” não foi tão amigável assim, já que de um lado Bill dizia que havia sido deixado de lado por conta de questões contratuais e de outro a banda afirmava que Ward não teria condições de aguentar longos shows.

Enquanto esse debate se desenrolou, a banda rodou o mundo, veio ao Brasil, fez seu último show, acabou e agora já até fala em retornar.

Pois aos 72 anos de idade, Bill finalmente admitiu que não teria como retornar ao Sabbath e isso aconteceu no programa “Trunk Nation With Eddie Trunk”, da SiriusXM.

Por lá, ele afirmou (via Blabbermouth):

Bem, eu não me sinto finalizado com o legado do Black Sabbath (risos). Eu não encerrei. Encerraram por mim, mas eu não encerrei. Então, os outros podem ter finalizado, mas eu ainda não finalizei.

Mas sendo realista sobre isso, quando o assunto é excursionar com o Black Sabbath, eu não tenho as manhas e não tenho a habilidade para conduzir uma banda como essa no palco. Eu teria que voltar 60 anos no tempo para conseguir fazer isso.

Estou sendo honesto. Irei completar 73 anos no meu próximo aniversário e eu sei que tipo de energia é necessária para conduzir essa banda.

No mesmo papo, ele ainda falou sobre a possibilidade de um encontro em estúdio:

Eu adoraria gravar um disco com o Sabbath, com todos os membros originais. Estou apenas dizendo isso, apenas jogando a ideia. Eu não falei com ninguém sobre isso ou qualquer outro assunto. Mas eu sinto que ainda não acabei. Então os outros podem ter acabado, e eu respeito isso, mas eu não. Eu não acabei [minha relação com a banda]. Eu acho que enquanto todos nós existirmos (risos) e estivermos respirando, eu acho que temos a chance de criar ótimas músicas juntos.

Agora diz pra gente: não seria melhor ele ter falado tudo isso lá atrás e evitado os burburinhos a respeito das formações recentes da banda?

 
Compartilhar