Não importa para onde você olhe dentro da indústria da música, vai perceber que as mulheres estão marcando presença e sendo (finalmente!) reconhecidas por suas incomensuráveis contribuições aos mais diversos estilos.

Há alguns anos nós temos falado sobre isso aqui no TMDQA! e é só dar uma sacada nas listas de melhores do ano para saber que são elas quem têm apresentado as sonoridades mais interessantes da atualidade.

Seja no Rap ou no Heavy Metal, a presença feminina tem ganhado cada vez mais espaço depois de tantos anos lutando por ele — o processo é longo e constante, mas vem trazendo resultados para a alegria das artistas e, claro, do público.

Neste Dia Internacional da Mulher, acreditamos que não há nada melhor do que celebrar a obra de 10 excelentes revelações da música nos últimos anos. De uma forma ou de outra, esses nomes certamente farão parte do futuro da arte.

É claro que estas são apenas algumas das representantes dessa cena, então aproveite para deixar suas sugestões nos comentários no Facebook e Instagram do TMDQA! logo depois de conhecer nossa lista logo abaixo!

Ana Frango Elétrico

Ana Frango Elétrico

Apesar do nome bem-humorado, Ana Frango Elétrico leva seu trabalho musical muito a sério e isso ficou evidente com o excelente Little Electric Chicken Heart, de 2019.

O disco lançou a cantora como uma das grandes representantes da chamada “Nova MPB”, em especial por seu viés mais experimental do que costumamos ver — algo que ficou mais do que perceptível no seu último lançamento “Mulher Homem Bicho” (2020), single que serve como porta de entrada para uma nova e promissora fase.

Courtney LaPlante

Spiritbox

Da MPB vamos para o Heavy Metal. A canadense Courtney LaPlante está pouco a pouco se transformando na nova cara da música pesada com a sua banda Spiritbox, que já tem um catálogo interessante mas promete trazer uma baita renovação ao gênero com seu próximo disco.

Entre as prévias está a sensacional “Blessed Be”, um exemplo de como a voz de Courtney pode ir do melódico ao agressivo com maestria. Que mulher!

IZA

IZA no Festival GRLS-3
Foto por Stephanie Hahne/TMDQA!

Voltando ao Brasil, um dos nomes que mais chamou a nossa atenção nos últimos anos é o da maravilhosa IZA. A cantora estreou em 2018 com o disco Dona de Mim e desde então se tornou uma queridíssima de tantas pessoas ao redor do Brasil e do mundo — afinal, já surgiram colaborações com nomes como AlcioneCiaraTimbaland.

O futuro é promissor se levarmos como base o single “Meu Talismã”. Último lançamento totalmente solo de IZA, a faixa tem se mostrado o maior sucesso (até o momento) e abre as portas para uma carreira longa e cheia de hits.

Julien Baker

Julien Baker lança seu novo single "Hardline"
Reprodução / YouTube

Parte de uma cena Indie/Alternativa que vem revelando inúmeros talentos femininos nos últimos anos, Julien Baker se renovou de vez com o disco Little Oblivions (2021).

Com uma sonoridade que transita tranquilamente entre o Emo, o Rock Alternativo e o Indie Rock de maneira extremamente única, Julien estabeleceu uma carreira bastante sólida e ainda se tornou parte do supergrupo boygenius, onde mostra ainda mais lados dos seus talentos.

Luedji Luna

Foto: Rafael Serato

Já faz algum tempo que Luedji Luna se estabeleceu na cena brasileira com sua abordagem bem única da sonoridade brasileira. Mas foi em 2020, com o incrível Bom Mesmo É Estar Debaixo D’Água, que ela se tornou de vez a grande voz de uma geração.

Não é à toa que o trabalho esteve no topo da nossa lista dos melhores daquele ano e, daqui pra frente, a expectativa é de uma carreira que a colocará sempre entre as melhores artistas do Brasil.

Luiza Lian

(foto: Filipa Aurelio/Reprodução Facebook)

A trajetória recente da super talentosa Luiza Lian é composta de dois trabalhos incríveis.

Tanto Oyá Tempo (2017) quanto Azul Moderno (2018) são discos que mostram uma capacidade absurda de falar sobre temas dos mais pessoais de forma delicada, inteligente e sem pudor.

Com o último álbum, Luiza fez shows que contaram com produções audiovisuais sensacionais e tornou-se um dos nomes mais interessantes da música brasileira.

Mal podemos esperar pelo dia em que as aglomerações voltarão ao normal e poderemos ver tudo isso de pertinho novamente.

Nandi Bushell

Nandi Bushell celebra aniversário de Jimmy Page com nova versão de "Immigrant Song"
Reprodução / YouTube

A grande maioria das mulheres citadas aqui já estão há algum tempo estabelecidas na indústria musical, mas o caso de Nandi Bushell é especial. Com apenas 10 anos de idade, a garota já acumula elogios de astros do Rock e até um duelo com ninguém menos do que Dave Grohl, que já prometeu convidá-la para participar de um show do Foo Fighters.

Multitalentosa, Nandi toca basicamente todos os instrumentos do Rock and Roll e, por mais que por enquanto fique mais nas covers, também já deu sinais de que tem o dedo de compositora e promete um futuro brilhante no gênero.

Nova Twins

Nova Twins

Chegou a vez de falarmos do Punk e não há exemplo melhor do que as britânicas do Nova Twins, consideradas por muitos como o futuro do gênero não apenas pelos seus talentos musicais mas também pelo pioneirismo ao unir elementos de Rap, Garage Rock e até Dubstep com a sonoridade tradicional do estilo agressivo.

Elas estrearam oficialmente com o disco Who Are the Girls? em 2020 e definitivamente prometem uma carreira pra lá de interessante, inclusive por meio das diversas parcerias que têm firmado nos últimos tempos.

Phoebe Bridgers

Phoebe Bridgers
Foto via Wikimedia Commons

Queridinha da cena alternativa, Phoebe Bridgers furou essa bolha depois do lançamento de Punisher em 2020. A chegada ao mainstream abriu espaço para que uma das artistas mais interessantes da nova geração alcançasse uma visibilidade mais do que merecida e, com ela, vieram diversas polêmicas que colocam Phoebe como uma verdadeira rockstar.

Essa parte, no entanto, é apenas uma das diversas características da cantora que se reinventa a cada trabalho e mostra uma capacidade excepcional de unir talentos musicais únicos com sua irreverência e inventividade.

SZA

SZA
Foto por Blair Caldwell

Por fim, não poderíamos deixar de falar do R&B. Há diversos nomes com pegadas mais próximas do Rap, como Megan Thee Stallion, mas por aqui resolvemos destacar SZA e sua abordagem mais melódica e quase-Pop do gênero que vem chamando muitíssima atenção.

Mais do que isso, no entanto, SZA vem dando sinais (como em “Good Days”) de que está apenas começando sua brilhante carreira e é uma artista que vai nos fazer prestar muita atenção daqui pra frente.

Publicidade: