Max Cavalera
Foto: Reprodução
   

Há 25 anos o vocalista e guitarrista Max Cavalera estava lançando junto com o Sepultura o aclamado disco Roots e pouco tempo depois decidiu deixar a banda para seguir novos caminhos na música.

Em uma entrevista à rádio Heavy 1/Hardy Force (via Loudwire), o artista explicou mais detalhes sobre sua saída da banda, que de acordo com ele naquele momento estava “podre por dentro”.

Além disso, Max destacou que não concordou com certas atitudes dos outros integrantes da banda com sua esposa Gloria Cavalera, que na época era empresária do grupo e perdeu seu filho Dana Wells, morto em 1996.

Roots

Sobre o período que contemplou o sucesso de Roots e a morte de seu enteado Dana, Cavalera declarou:

É marcado por glória e tragédia. Ao mesmo tempo que você está comemorando esse grande álbum, há uma grande tragédia bem no meio da coisa, que é a morte de Dana [Wells].

É amargo, cara. Acho que eu nunca gostei realmente do que Roots trouxe por causa disso. Foi cortado pela metade por causa disso. Mas a vida é assim.

Questionado se a morte de Wells foi um dos motivos que o levou a deixar o grupo, o artista negou. Ele disse que a situação da banda estava piorando antes mesmo do acidente acontecer, mas que acabou aumentando depois que descobriu que a esposa do guitarrista Andreas Kisser teria tentado acelerar o enterro de Dana para que a banda voltasse às turnês:

Muitos não sabem, mas estávamos na Inglaterra, prontos para fazer [o festival] Monsters of Rock com Ozzy Osbourne, quando soubemos que Dana morreu. Minha esposa entrou em desespero e eu sou o marido dela, tenho que confortá-la.

Voltamos para a América. Descobri depois que a esposa de Andreas tentou mover o corpo, tentou roubar o corpo de Dana para enterrá-lo de forma rápida para que pudéssemos voltar a fazer turnê.

Eu fiquei: ‘Quem faz uma coisa dessas?’. Isso me fez pensar realmente com quem eu estava fazendo música. São amigos de verdade? Foi confuso.

Max continuou explicando e disse que todos os membros da banda, incluindo seu irmão Iggor Cavalera, criaram uma espécie de “motim” contra ele e Gloria.

Eles não conversavam com ela. Aquela última turnê europeia foi pura miséria, foi horrível. Claro, isso [não] transparecia nas músicas, que eram ótimas e os shows também. Mas as outras 23 horas do dia eram terríveis para tentar lidar com isso.

Gloria Cavalera e o Sepultura

Na conversa, Max ainda fez questão de esclarecer que diferente do que algumas pessoas pensam, Gloria não foi demitida da equipe do Sepultura. Segundo o cantor, o contrato dela encerrou e ela optou por não renovar.

Gloria ainda disse para o músico que não queria influenciar na decisão dele em continuar na banda ou não, mas o artista disse que não poderia seguir pois “coisas pesadas” estavam acontecendo.

Eles tinham ideias diferentes. Uma das ideias principais era substituir Gloria e muitos de nossa equipe por pessoas ‘profissionais’ e grandes.

E para mim isso parece uma coisa fodida de se fazer, já que as pessoas que ajudaram você a chegar a isso foram [essas] pessoas, e agora que você é grande e bem-sucedido pode contratar qualquer pessoa.

Você fica tipo, ‘Tudo bem. Foda-se. Você acabou. Sua merda acabou. Vamos sair com [essas] pessoas de sucesso’. Não concordei com isso, porque acho que tudo estava indo bem. Estávamos sendo convidados para todos os grandes festivais.

Para finalizar o assunto, Cavalera indicou o que a banda deveria ter feito para que eles pudessem posteriormente conversar e quem sabe ele mudar sua decisão de deixar o grupo.

Honestamente, acho que a melhor coisa que poderíamos ter feito seria tirar um ano inteiro de folga e todos deveriam ir a algum lugar, clarear as ideias e voltar um ano depois para conversar sobre isso. Porém, mesmo com isso, não havia remédio. Estava quebrado – a coisa está quebrada. Estava podre por dentro. Precisava de alguma coisa e, eventualmente, o que precisava era a separação.

Atualmente, Max Cavalera é membro de quatro bandas, são elas: Soulfly, Killer Be Killed, Cavalera Conspiracy e a mais recente Go Ahead and Die ao lado de seu filho Igor Amadeus Cavalera.

Assista abaixo ao vídeo completa da entrevista.

O trecho em questão começa por volta de 23 minutos.

   
 
Compartilhar