O Maior Clichê do Mundo
   

O duo O Maior Clichê do Mundo liberou seu EP de estreia. Homônimo, o compacto apresenta quatro faixas, que carregam uma sonoridade indie entre o pop e o rock.

A dupla também liberou o clipe feito para o single “Ter Coragem é Decisão”. Com produção da Habrok Films e direção de Filipe Matos e Alexis Tiranti, o vídeo conta com a participação de anônimos, que cantam trechos da música.

“A faixa é grudenta e tem um refrão com mais significado do que as rimas entre as frases. O som nasceu da pandemia que foi realmente um choque pra todo mundo. Foi necessária a reinvenção de padrões em tudo que fazemos, e podemos ter certeza de que podemos nos agarrar no que estamos fazemos hoje pro futuro. Ter fé é o mínimo pra se ter coragem, porque em alguma coisa todo mundo tem que acreditar,” explica o vocalista e guitarrista Guilherme Manenti, que forma o duo junto com o baterista Lucas Manenti.

Chico Paixão

Chico Paixão
foto: Christian Jung
O guitarrista e compositor Chico Paixão (Funkalister, Ultramen) lançou nas plataformas digitais seu primeiro disco solo, Bossa Nenhuma.
O álbum apresenta 11 faixas que, como o título sugere, flertam com a bossa nova. Uma delas, “Valsa Celestial”, teve clipe divulgado no YouTube.
Dirigido por Christian Jung, o vídeo conta com a interpretação da bailarina Ana Cândida Amaral, que executa seus movimentos enquanto passeia por uma casa repleta de objetos antigos.

Conrad G. Fleck

Conrad G. Fleck
foto: divulgação

Através do selo Naïf, o cantor e compositor gaúcho Conrad G. Fleck divulgou o clipe da música “Quando”.

Produzido durante a quarentena, o vídeo teve a direção de Felipe F. Aronne e mostra um sofá a céu aberto com o artista em diferentes poses, ora com o violão em punho, ora apenas cantando.

A faixa, carregada de influências diretas da MPB, traz como temática a saudade e a expectativa relacionada a espera, principalmente nos dias atuais em meio ao turbilhão de sentimentos que a pandemia provoca.

Nando Müller

Nando Müller
foto: divulgação

O cantor e compositor paranaense Nando Müller divulgou nas plataformas digitais a música “Casas Coloridas”.

No final do ano passado, ele já havia liberado o singleO Extraordinário”, que reflete sobre os sentimentos humanos em uma mistura lo-fi e indie folk.

A faixa, que tem como influência nomes como Rodrigo Amarante, Dorival Caymmi e Tim Bernardes, exalta a necessidade da paz no cotidiano.

“Mantive a ambiência e utilizei um take com uma breve sobra do metrônomo. Fiz isso a fim de mostrar que toda a essência da música está ali. A partir desta ideia, traço um paralelo entre a harmonia e a vida real. Ou seja, todos somos frágeis e extraordinários. A mensagem é direta, apesar da metalinguística,” conta Nando, que prepara o lançamento de seu álbum de estreia, Singular.

Lafetah

Lafetah
foto: reprodução

O cantor e compositor Lafetah lançou o clipe da faixa “Leviatã”, que conta com a
participação do rapper ViniJoe.

Dirigido por Isadora Canela, o vídeo acompanha dois universos paralelos. O primeiro é Lafetah como um ser fantástico que, em um programa de TV, derrota o verdadeiro Leviatã (representante de um estado autoritário).

O segundo é Vinijoe, que, do outro lado da tela, assiste ao show. Os universos se fundem quando o rapper, instigado pela vontade de proferir verdades para os poderosos, decide trazer à tona sua realidade há tanto tempo inviabilizada.

“Na escola, no mercado, na sala de casa. As notícias falsas fazem parte do nosso cotidiano, não é só uma preocupação, é parte da realidade assim como suas consequências. Este clipe não é sobre verdades subjetivas, é sobre mentiras que vivemos e compartilhamos,” afirma a diretora.

A letra gira em torno do conceito de deep fake (inteligência artificial usada para recriar rostos e vozes) com o intuito de criticar políticos que disseminam, financiam e se aproveitam de esquemas das tão populares fake news.

“Não é só pelo impacto, mas também para criarmos um senso crítico diante disso
tudo que estamos vivendo. Não é hora de ficarmos calados. Precisamos compartilhar verdades para quebrar a corrente de mentiras,” comenta Lafetah.

“Queremos ter voz e cutucar a sociedade para abrir os olhos e enxergar tudo isso que está acontecendo. Estamos cansados de tanta mentira e
violência,” finaliza ViniJoe.