Chumbawamba em 2012
Foto via Wikimedia Commons
 

Em 1997 a banda britânica Chumbawamba explodiu no mundo todo com o mega hit “Tubthumping”.

Com um refrão altamente cantarolável, o som foi parar nas rádios de todo planeta e de repente todo mundo achou que estava entrando em contato com uma banda nova recheada de influências do Pop.

Acontece que o disco que tem a faixa, Tubthumper, já era o oitavo na carreira do grupo fundado em Burnley em 1982 e de Pop o Chumbawamba não tinha nada: era um grupo repleto de mensagens políticas e sociais apoiando questões progressistas, celebrando o feminismo e lutando contra o fascismo, por exemplo.

Longos anos depois, com a veia questionadora afiadíssima, o Chumbawamba voltou com seu décimo terceiro disco de estúdio e The Boy Bands Have Won, lançado em 03 de Março de 2008, acabou entrando para o Livro dos Recordes.

Continua após o vídeo

Chumbawamba e o Maior Título de Álbum da História

Chumbawamba - The Boy Bands Have Won

Isso porque o nome citado acima é apenas um pequeno pedaço do título completo do álbum estampado em sua capa.

Com 156 palavras e 865 caracteres, o título completo dessa belezinha é o seguinte:

The Boy Bands Have Won, and All the Copyists and the Tribute Bands and the TV Talent Show Producers Have Won, If We Allow Our Culture to Be Shaped by Mimicry, Whether from Lack of Ideas or from Exaggerated Respect. You Should Never Try to Freeze Culture. What You Can Do Is Recycle That Culture. Take Your Older Brother’s Hand-Me-Down Jacket and Re-Style It, Re-Fashion It to the Point Where It Becomes Your Own. But Don’t Just Regurgitate Creative History, or Hold Art and Music and Literature as Fixed, Untouchable and Kept Under Glass. The People Who Try to ‘Guard’ Any Particular Form of Music Are, Like the Copyists and Manufactured Bands, Doing It the Worst Disservice, Because the Only Thing That You Can Do to Music That Will Damage It Is Not Change It, Not Make It Your Own. Because Then It Dies, Then It’s Over, Then It’s Done, and the Boy Bands Have Won

Traduzindo para o bom e velho português, isso tudo significa:

As Boy Bands Venceram, e Todos os Copiadores e as Bandas Covers e os Produtores de Reality Shows de Talentos Ganharam, Se Nós Permitirmos que a Nossa Cultura Seja Moldada por Imitações, Seja A Partir da Falta de Ideias ou de Respeito Exagerado. Você Nunca Deveria Tentar Congelar a Cultura. O Que Você Pode Fazer é Reciclar Essa Cultura. Pegue a Velha Jaqueta do Seu Irmão Mais Velho e Re-Transforme Seu Estilo, Re-Transforme Ao Ponto Em Que Ela Se Torna Sua Mesmo. Mas Não Apenas Regurgite A História Criativa, ou Entenda Que Arte e Música e Literatura São Coisas Fixas, Intocáveis e Guardadas Em Caixas de Vidro. As Pessoas Que Tentam ‘Proteger’ Qualquer Forma Particular de Música São, Como Os Copiadores e As Bandas Fabricadas, Fazendo o Pior Desserviço, Porque A Única Coisa Que Você Pode Fazer Com A Música Que Poderá Fragilizá-la É Não Mudá-la, Não Fazer Dela Algo Próprio. Porque Aí Ela Morre, Aí Tudo Acaba, E Tudo Chega Ao Fim, E Aí As Boy Bands Venceram

Ufa! Que tal? Gostou?

Vale lembrar que outra artista que gosta bastante dessa abordagem é a cantora e instrumentista norte-americana Fiona Apple.

Seu segundo disco se chama When the Pawn Hits the Conflicts He Thinks Like a King What He Knows Throws the Blows When He Goes to the Fight and He’ll Win the Whole Thing ‘fore He Enters the Ring There’s No Body to Batter When Your Mind Is Your Might So When You Go Solo, You Hold Your Own Hand and Remember That Depth Is the Greatest of Heights and If You Know Where You Stand, Then You Know Where to Land and If You Fall It Won’t Matter, Cuz You’ll Know That You’re Right.

Já o quarto álbum, mais “light”, foi batizado como The Idler Wheel Is Wiser Than the Driver of the Screw and Whipping Cords Will Serve You More Than Ropes Will Ever Do.

 
Compartilhar